Jogos

SUGESTÕES DE ATIVIDADES DOS CMEI'S

Todas as atividades devem ter o acompanhamento seguro de um adulto

TRILHA

FAIXA ETÁRIA: A partir dos 3 anos de idade.

VOCÊ VAI PRECISAR DE: giz ou carvão para desenhar no chão uma trilha de 10 casas no chão, desenhos diversos (frutas, formas, números, etc.) desenhados ou colados na trilha, , um dado.

ATIVIDADE: No jogo, cada criança deve jogar o dado uma vez, observar o valor do dado jogado e avançar dentro da trilha, a quantidade de casas correspondentes, se a criança “chegar” até a casa onde está uma imagem ou um desenho, ela deverá responder uma pergunta, por exemplo, se for imagens de frutas: que fruta é essa? qual sua cor? assim por diante).

A atividade foi realizada com duas turmas de Maternal III do CMEI Tia Marlene e faz parte do Projeto “Pinhais: Nossa Cidade, Nosso Orgulho” para trabalhar os pontos turísticos da cidade. Colamos fotografias impressas de pontos turísticos de Pinhais em um pedaço de TNT (tecido não-tecido) colorido, de aproximadamente 2x4m, onde desenhamos com um canetão dez “casas”, semelhantes ao caminho de um jogo de dados (ao pesquisar “jogo de dados” no Google é possível observar vários modelos simples). Quando as crianças chegavam em uma imagem com o ponto turístico de Pinhais, deveriam anunciar o nome do local (ex: “cheguei no Bosque Municipal”).



CMEI Tia Marlene - Educadores Murilo Schultz e Elisangela de Carvalho
Carousel imageCarousel image

a) O jogo pode sofrer diversas adaptações, de acordo com a idade da criança. Para crianças até 05 anos de idade, recomenda-se que a trilha tenha 10 casas, para as maiores que já sabem contar sozinhas pode-se fazer uma trilha mais extensa.

b) O jogo pode ser individual ou competitivo (com duas crianças ou mais) com o objetivo de ver quem chega primeiro.


Bom divertimento à família.#fiqueemcasa e sigam as orientações das autoridades!#brinquecomseufilho
CMEI Tia Marlene - Educadores Murilo Schultz e Elisangela de Carvalho

GARRAFAS SENSORIAIS

Materiais recicláveis são ótimos brinquedos, é importante que o adulto selecione objetos, os limpe e elimine perigos com auxílio de durex, por exemplo. A palavra sensorial se refere a tudo que pode aguçar os sentidos, nesta proposta a visão e a audição mais especificamente.

  1. Separe o reciclável de sua preferência, para propostas de audição pode ser escuro e para propostas de visão deve ser transparente.

  1. Higienize e coloque os objetos que desejar dentro. Para visão vale gliter, óleo, tinta e água, é interessante quando os objetos não se misturam, voltando para sua fase após a brincadeira. Para audição é interessante objetos variados em peso, quantidade e espessura que trarão sons diferentes.

  1. Certifique-se que a garrafa foi bem vedada, use durex e/ou fitas colantes, assim o brinquedo poderá ser disposto para criança e propiciar diversas descobertas.

Atividade recomendada de 6 meses até 2 anos.4.

CMEI Tatiana Belinky

CORRIDA DO SACI

Faixa etária: a partir de 3 anos

Prepare um lugar para ser o ponto de largada e o de chegada. Quando for dado o sinal, todos os participantes devem pular apenas com uma perna, semelhante ao saci pererê até alcançar a linha de chegada. Aquele que colocar os dois pés no chão será eliminado e ganhará quem ultrapassar a linha de chegada primeiro. Caso prefira, para não haver exclusão, aquele que colocar o pé no chão poderá pagar uma prenda ao invés de ser eliminado.

CMEI Raimunda Boeng Gorges

JOGO DA MEMÓRIA

Idade: de 3 anos em diante

Objetivo: memória visual

Material: objetos da casa

Local: cômodo da casa

Orientação: Os participantes da brincadeira escolhem um cômodo da casa e se reúnem lá. Todos ficam por alguns minutos olhando os objetos do lugar. Depois, uma pessoa é escolhida para ser vendada. Outra pessoa escolhe um objeto daquele cômodo e coloca na mão da pessoa com a venda, para que esta possa descobrir, apenas pelo tato, que objeto tem em suas mãos. Para ficar mais difícil, pode-se pular a parte em que se escolhe um cômodo específico e ficam valendo todos os objetos da casa. Se tiver muita gente para participar, pode-se dividir em grupos e ganha o grupo que acertar um maior número de objetos.

CMEI Tia Marlene - Educadora Daniele Padilha

JOGO DA MEMÓRIAIntérprete de LIBRAS Regislene

COMPLETO O DESENHO

Idade: 2 anos em diante

Objetivo: noção corporal e imaginação

Material: papel, cola, tesoura, material de colorir (lápis de cor ou canetinhas) e revistas.

Local: casa ou quintal

Orientação: Você recorta figuras de revistas e cola em um papel. Depois convida as crianças a completarem os desenhos usando a imaginação.

CMEI Tia Marlene - Educadora Daniele Padilha

COMPLETO O DESENHOIntérprete de LIBRAS Regislene
Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image

CINCO MARIAS

Idade: a partir de 5 anos

Número de participantes: a partir de 1

Pegue cinco saquinhos de tecido e encha-os com areia ou arroz. Jogue as cinco marias no chão. Escolha uma, jogue para cima e pegue outra do chão, a tempo de pegar a primeira antes de cair. Na próxima rodada, jogue um saquinho para cima enquanto pega dois no chão e volta a recolher a primeira antes de cair. E assim sucessivamente.

CMEI Aprendendo e Crescendo

CINCO MARIASIntérprete de LIBRAS Regislene

ATIVIDADE COM SUCATAS

ORIENTAÇÃO: todas as atividades devem ter o acompanhamento seguro de um adulto.

IDADE: a partir de 2 anos

MODO DE FAZER: separar caixas, figuras, rolos de papel higiênico, papelão, caixinhas, tampinhas, latas, lápis de cor, giz de cera, etc. Dispor os materiais livremente para que a criança brinque e construa de acordo com sua imaginação.

CMEI Aprendendo e Crescendo

JOGO DE TABULEIRO DAS CORES

Número de participantes: individual ou em grupo;

Material e Confecção: Tabuleiro: Bandeja de ovos vazias, tinta, pincel. Vire a bandeja para baixo e pinte a ponta de cada fileira de uma cor a sua escolha. Caso queira, pinte a base da bandeja de uma cor escura para dar contraste às demais cores. Peças: Como peças podem ser usadas de 2 à 6 tampas brancas ou coloridas de garrafas. Cubo: Pode ser usando o modelo em anexo ou confeccionado com lápis para desenhar o molde, tinta, tesoura e cola.

Proposta do jogo: Cada jogador escolhe sua(s) fileira(s) de cor(es). O dado é lançado e cairá em uma das cores correspondentes e o jogador avança uma casa com a tampinha. Vence o jogador que chegar primeiro a última casa.

Este jogo contribui para o desenvolvimento de aspectos, como a atenção, reconhecimento das cores, aprender a esperar a sua vez, ganhar e perder.

Carousel imageCarousel image

JOGO DOS NUMERAIS

Materiais:

Bola pequena, rolos de papel higiênico vazio, canetinha e uma tampa da caixa de sapato ou pizza.

Objetivo:

Trabalhar a conscientização do meio ambiente, por meio da reciclagem

Juntar rolo vazio de papel higiênico para confecção de um jogo. Cortar o rolo ao meio e numerar do 1 ao 10, após cortar em partes, colar em posições diferenciadas em uma tampa de caixa de pizza ou caixa de sapato. Para dar inicio ao jogo, posicionar a bolinha pequena dentro da tabela e manusear tentando acertar a ordem numérica.

CMEI Pequeno Príncipe - Educadora Marly

SEGURE O BASTÃO

Materiais: celular ou computador, cabo de vassoura.

Objetivo:

Nessa atividade o objetivo é proporcionar o momento de interação entre todos os integrantes do grupo familiar, de uma forma lúdica, propiciando o movimento.

É necessário um bastão (ou cabo de vassoura) para cada jogador. Todos em círculo. O objetivo é pegar o bastão mais próximo à sua direita ou esquerda - conforme o combinado - antes de cair. Os jogadores devem manter seus bastões na vertical e a frente, com uma ponta tocando o chão. Quando o professor (um adulto) grita "trocar" todos os jogadores deixam seus bastões equilibrados e correm para pegar o próximo bastão à sua direita antes que ela caia no chão. Quando um jogador não consegue pegar o bastão antes que caia, ele está fora do jogo e deve levar o seu bastão. Quem não errar vence. Coloca uma música pra ficar mais divertida a brincadeira! Link sugestão https://www.facebook.com/watch/?v=1193381167368516

CMEI Pequeno Príncipe - Educadora Karine

JOGO DE BOLICHE COM GARRAFA PET

Número de participantes: individual ou em grupo;

Número de peças: pode ser a partir de 3 peças, ampliando para mais conforme material disposto em casa.

Material e Confecção: Serão necessárias quantas garrafas forem possíveis. Podem ser do mesmo tamanho ou não. Para enfeitar a garrafa, a família poderá usar: Tecido (conforme imagem), Caneta permanente, E.V.A, adesivo, etc... O que tiver em casa. Será necessária também uma bola para arremessar nas garrafas.

Proposta do jogo: Distribui-se as peças de maneira organizada em fileiras adicionando sempre uma garrafa por fileira, lembrando um formato triangular nesta distribuição. Os jogadores definem quem iniciará o jogo que consiste em arremessar a bola e derrubar as garrafas. Cada jogador tem direito a dois arremessos por vez, a menos que consiga derrubar todos as garrafas na primeira jogada, conseguindo um strike. Nesse caso, ele não pode arremessar a segunda bola. Ganha, o jogador que derrubar mais garrafas por rodada.

Este jogo contribui para o desenvolvimento de aspectos, como a atenção, concentração, coordenação motora, aprender a esperar a sua vez, ganhar e perder;

A proposta fica mais interessante se a decoração das garrafas for realizada coletivamente, envolvendo a participação dos responsáveis.

JOGO DOS PONTINHOS

Faixa etária: a partir de 5 anos

Número de participantes: a partir de 2 sem quantidade específica, sendo importante alterar o grau de dificuldade a depender da idade das crianças e número de participantes, variando a quantidade de pontos na folha;

Como se joga: em uma folha desenha-se filas de pontos em linhas verticais e horizontais. Cada jogador na sua vez, fará linha para unir os pontos, podendo ser de maneira aleatória e utilizando cores diferentes de riscantes (lápis, giz de cera, canetinhas). Quem fechar o quadrado colocará a inicial de seu nome dentro para identificar a quantidade de cada participante, ao final. Ganha quem fechar maior número de quadrados.

Para as crianças pequenas (aproximadamente 5 anos ou mais) recomenda-se começar com número pequeno de pontinhos até que elas compreendam o objetivo do jogo, podendo ampliar gradativamente;

Considerando ser um jogo que desenvolve e exige coordenação motora fina, para as crianças, é importante que os pontos sejam feitos com canetão ou giz de cera em um papel não muito pequeno (tamanho A3);

A partir deste jogo desenvolve-se coordenação motora fina, capacidades de atenção, concentração e elaboração de estratégias.

JOGO DE MEMÓRIA COM DESENHOS DA CRIANÇA

Número de participantes: 2 ou mais; Faixa etária: a partir de 4 anos

Número de peças: considerar a idade das crianças, podendo ser com 6 peças, 8, 10, até 24;

Confecção das peças: a pessoa responsável pode propor que as crianças façam desenhos variados, sendo sempre 2 de cada. O desenho precisa ser em um papel com tamanho definido previamente. Em seguida, precisam ser colados em um papel de fundo com cor única, preferencialmente mais firme (podendo ser em papelão ou caixa de sapato, deixando a parte interna, ou seja, sem estampa para fora);

Proposta do jogo: distribui-se as peças de modo que os desenhos estejam virados para baixo. Cada participante, na sua vez vai virando sempre duas peças. Toda vez que virar duas peças iguais, tem direito de jogar novamente. As peças iguais viradas são retiradas do jogo pelo participante que formou o par. Ao final, vence o participante que fez maior número de pares.

Este jogo contribui para a atenção e concentração, bem como a partir da utilização dos desenhos da própria criança, dá-se a ela a possibilidade de ser protagonista, de construir, colaborar e participar, ou seja, ajuda no fortalecimento da autoestima e torna a atividade mais interessante e significativa.

Os desenhos podem ser dos familiares ou responsáveis, livres ou adotar critérios de agrupamentos: brinquedos, frutas, membros da família, entre outros.

Caso tenham a possibilidade de plastificar com durex largo ou contact transparente, terá durabilidade maior e poderá fazer parte do acervo de jogos da criança e família.

COORDENAÇÃO MOTORA

A coordenação motora de uma criança é estimulada desde cedo, por pequenas brincadeiras, brinquedos e atividades dirigidas na escola, CMEI ou até mesmo em casa. Trabalhar a coordenação motora tanto fina quanto a ampla é algo muito importante em todos os níveis da educação infantil e nos anos iniciais na vida de uma criança, este processo é um ato sequencial e contínuo em toda a sua vida.

As atividades motoras devem estar sempre presentes no cotidiano da criança, pois elas permitem o domínio do corpo no espaço, as brincadeiras, jogos e atividades infantis exercem um papel muito além da diversão na vida de uma criança, possibilitam aprendizagem de diversas habilidades e são meios que contribuem e enriquecem o desenvolvimento intelectual de cada uma.

O alinhavo é um grande aliado para a estimulação da coordenação motora de uma criança podendo ser feito de maneira simples e com matérias que podemos encontrar no armário de casa. Esta atividade pode ser adaptada para as mais diversas idades.

Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image

CMEI Milton Santos

UM MUNDINHO PARA TODOS

Faixa etária – 4 a 5 anos – infantil IV

Tema: Cuidando de mim e dos outros.

Apresentar às crianças a história um mundinho para todos, em seguida um momento para que todos possam conversar sobre o que foi observado na história. Como é o nosso mundo, nossa realidade, dificuldade, abordando o tema de forma lúdica com brincadeira e criatividade. Oportunizar também uma reflexão sobre nossa rotina, cuidados que devemos ter nesse momento, apresentando informações de conscientização.

Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image

CMEI Cora Coralina

JOGO DA VELHA

Regras do jogo

  • Participantes:2:

  • Materiais: tabuleiro de 5 peças de cada tipo (X - 0);

  • Objetivo do jogo: colocar 3 peças seguidas na mesma linha (vertical, horizontal ou diagonal);

  • Modo de jogar: cada jogador, em sua vez, coloca uma peça em uma casa vazia e tenta impedir que o outro jogador complete 3 casas em sequência na mesma linha. Vale colocar peças em todas as linhas, tentando impedir que o adversário organize seu jogo;

  • Vencedor: quem primeiro completar a fileira.

Este jogo ajuda a desenvolver raciocínio, capacidade de organizar estratégias, atenção e concentração.

Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image

Podem ser utilizados diferentes recursos e a confecção do tabuleiro pode ter a participação das crianças.


COMO FAZER JOGO DA VELHA COM MATERIAIS RECICLÁVEIS

QUEBRA-CABEÇA COM DESENHOS DA CRIANÇA/FAMÍLIA

Número de participantes: individual, em dupla ou em grupo;

Número de peças: pode ser a partir de 4 peças, ampliando para mais, considerando a idade das crianças;

Confecção: pode-se propor que a criança represente por meio de desenhos algumas situações, interações familiares, brincadeiras, entre outros. Para tanto, pode-se utilizar papel sulfite ou outro, em formato quadrado ou retangular. Após, o desenho deve ser colado em um material mais firme, podendo ser em papelão. A pessoa responsável cortará o desenho na quantidade de partes desejadas, adotando formas, contornos e linhas variadas.

Proposta do jogo: distribui-se as peças de maneira desorganizada e reorganiza compondo o desenho.

Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image

DICAS IMPORTANTES SOBRE QUEBRA-CABEÇA COM DESENHOS DA CRIANÇA/FAMÍLIA!!!

  1. Este jogo contribui para o desenvolvimento de aspectos, como a atenção, concentração, discriminação visual e memória;

  2. A proposta fica mais interessante se o desenho for realizado coletivamente, envolvendo a participação dos responsáveis;

  3. A utilização dos desenhos da própria criança, e/ou dos seus pares, valoriza a produção individual e/ou coletiva, tem mais significado porque apresenta um repertório cultural, vivências e experiências da própria criança e de sua família, agregando também, um valor afetivo ao jogo que ajudou a construir em parceria;

  4. Uma possibilidade de plastificar o desenho é espalhando cola branca em quantidade moderada e esperando secar antes de cortar as partes;

  5. É importante observar que quanto menor a criança, maiores devem ser as partes do desenho e menor a quantidade de peças do quebra-cabeça;

  6. Para crianças pequenas pode-se recortar o desenho em quadrados.

ATIVIDADES COM ELEMENTOS DA NATUREZA

Em uma proposta que resgata o brincar heurístico, livre exploração, dentro do nosso projeto florescer, é possível constituir momentos de aprendizado usando a natureza

  1. Vá com a criança até o quintal ou ao redor de sua casa e colha elementos da natureza viva e morta.

  2. Disponha para a criança e construa com ela brincadeiras.

  3. Com os pequenos podem ser trabalhadas as sensações passando os elementos na pele, nos pés, nas costas,...

  4. Com as crianças maiores, os gravetos podem ser riscantes em areia ou terra e folhas podem ser comidinhas no faz de conta.

  5. Para todas as idades é possível criar histórias tendo pedras, gravetos, folhas, frutos e flores como personagens.

  6. E para a brincadeira ser novamente realizada, crie um cesto do tesouro com tais elementos, uma caixa para guardá-los e disponibilizá-los aos pequenos, podendo também ser vários, um só de pedra, outro só de folhas

CMEI Tatiana Belinky

JOGO DA VELHA

Faixa etária: a partir de 4 anos.

Participantes: 2 ou mais.

Material: lápis e papel ou um graveto (para riscar no chão) e pedrinhas.

Como jogar: Faça um desenho com duas linhas verticais paralelas cruzadas por duas linhas horizontais também paralelas, de maneira a formar nove espaços vazios.

Duas pessoas jogam alternadamente, preenchendo cada um dos espaços vazios.

Cada participante deve usar um símbolo (X ou O). Vence o jogador que conseguir formar primeiro uma linha com três símbolos iguais, seja ela na horizontal, vertical ou diagonal.

Podem ser usadas tampinhas de garrafa da mesma cor para indicar cada um dos participantes.

O QUE TEM NA CAIXA?

Faixa etária: a partir de 2 anos.

Material: Uma caixa de papelão ou de um saco de pano, 5 ou mais objetos bem diferentes uns dos outros, uma caixa ou um saco de pano.

Modo de fazer: Preparar uma caixa de papelão fazendo 2 buracos para passar as mãos, sem que sobre muito espaço. Veja o modelo.

Como brincar: Colocar os objetos na caixa sem que a criança veja. A criança colocará a mão na caixa e tentará adivinhar qual é o objeto.

Variações: Colocar um objeto de cada vez, após adivinhar, trocar o objeto. Para os menores, mostrar os objetos um de cada vez, falando os seus nomes, antes de escondê-los na caixa.

Carousel imageCarousel imageCarousel image

MASSINHA CASEIRA

Idades: de 12 meses em diante

Objetivo: desenvolver coordenação motora

Material: 4 xícaras (chá) de farinha de trigo; 1 xícara (chá) de sal; 1½ xícara (chá) de água; 1 colher (sopa) de óleo (soja, girassol, ou outro comestível); corante comestível de cores variadas.

Modo de preparo: Misture os ingredientes em sequência e, por último, coloque o corante da cor que preferir

Orientação: Na cozinha, misture os ingredientes junto com a criança e depois brinque junto com ela, crie formas, toquem e esparramem esse instrumento de exploração sensorial livremente, essa massinha é atóxica, ou seja, a criança pode por na boca sem problemas.

CMEI Tia Marlene - Educadora Daniele Padilha

TÊNIS DE BEXIGA

Idade: 3 anos em diante

Objetivo: coordenação motora

Material: bexiga, prato descartável, barbante, palito de sorvete e fita durex

Local: sala ou quintal

Orientação: Pegar um palito de sorvete e colar em um prato descartavel para que ele vire uma raquete. Encher a bexiga para ser a bola, prender o barbante em duas cadeiras transformando as cadeiras em rede para jogar a bexiga por cima dela. Se a criança não conseguir jogar por cima, pode brincar apenas com a raquete de prato e a bexiga sem a rede de fio.

CMEI Tia Marlene - Educadora Daniele Padilha

QUEBRA OVOS

Para essa atividade você precisa de 1 pedaço de papelão, cascas de ovos, limpas, saco plástico e fita crepe.

Disponha as cascas de ovos sobre o papelão.

Coloque o plástico por cimas das cascas e feche com a fita para que não caia pedacinhos para fora.

Disponibilize para a criança, um instrumento como colher, martelinho de madeira ou de brinquedo, entre outros, para que a criança quebre as cascas de ovos.

Sugestão: Para crianças maiores, você pode pintar um pedaço das cascas de ovos com canetinha ou tinta guache, e peça para criança quebrar aleatoriamente, o ovo com a cor citada.

Semana de 25 a 29 de maio

JOGO NA CAIXA DE PIZZA

Idade: a partir de 3 anos

Materiais: 1 caixa de pizza, 1 prato e 1 caneca (para fazer os riscos), Canetinhas e lápis de cor, Lápis, 1 tesoura ou estilete (usado somente pelo adulto), e 1 bolinha.

Modo de fazer: criança e adulto podem confeccionar juntos o jogo

Na caixa de pizza faça o contorno do prato (que será o rosto) e da caneca (que será a boca). Desenhe olhos e cabelos. Após pode contornar e pintar seu desenho. Corte o círculo feito com a caneca, a fim de ficar um buraco por onde passará a bola.

Como brincar: a bolinha ficará na caixa de pizza e o jogador terá que mexer a caixa, procurando que a bola passe pelo buraco.

CMEI Milton Santos

ENCAIXE OS PALITOS

Faixa etária: a partir de 1 ano e 6 meses.

Objetivo: estimular a coordenação motora fina e ampla.

Material:

Lata com tampa de plástico

Palitos sem ponta (rachis ou de sorvete)

Parafuso ou algum metal para que sejam feitos os furos na tampa da lata

Alicate (para segurar o parafuso enquanto aquece)

Modo de fazer:

Um adulto deverá utilizar como suporte um alicate de construção, aquecer um parafuso no fogo para fazer os furos na tampa da lata.

*É importante que os furos sejam da mesma espessura que os palitos, para que assim, a criança se sinta desafiada ao encaixá-los na tampa.

Fechar a lata e entregá-la à criança, juntamente com os palitos.

Dica: Uma variação dessa atividade é pintar os palitos e os furos da tampa com cores variadas. Cada palito deverá ser colocado em sua respectiva cor.

Fernanda Mendes Guadagnin

OLHA!

Faixa etária da proposta: Propostas destinadas a partir dos 3 (três) meses.

Descrição das propostas: Trabalhar a curiosidade, investigação, percepção sensorial, motricidade.

Esta atividade tem os objetivos de ensinar o bebê a segurar os objetos com duas mãos, desenvolver os sentidos da visão, audição e do tato, propiciando o reconhecimento de distintas texturas e cores e ajudando-o no controle da postura.

No decorrer da atividade é de extrema importância que as crianças estejam acompanhadas e estimuladas por um adulto durante a realização da brincadeira.

COMO FAZER:

Prepare o local da brincadeira, colocando algumas almofadas e brinquedos pequenos de cores variadas e chamativas, com texturas diferentes. Coloque o bebê sentado, apoiando-se nas almofadas, ou ajude-o a permanecer sentado enquanto durar a atividade. Mostre-lhe, um a um, os diferentes brinquedos, enquanto sorri e fala com ele suave e carinhosamente. Coloque os brinquedos em suas mãos e segure-os para que não caiam e para que o bebê possa explorá-los. Se algum brinquedo fizer barulho ao se mexer, mova a mãozinha do bebê para que perceba o que está acontecendo. Coloque o brinquedo em uma mão diferente a cada vez para que o bebê vá exercitando ambas as mãos.

CMEI Raimunda Boeng Gorges - Chavelli Francikelly

DICAS DE GARRAFAS DESCARTÁVEIS

Semana de 01 a 05 de junho

PEGA TAMPINHAS

Faixa etária: a partir de 3 anos

Para essa brincadeira você irá precisar de:

  • Tampinhas de garrafa

  • Prendedor de roupa

  • Recipiente

Peguem as tampinhas de garrafa vire todas com abertura para cima. Pegue o pote (recipiente) e o prendedor. Mostre para a criança o movimento do prendedor abrindo quando apertamos e fechando quando paramos de apertar. Ensine a criança a pegar as tampinhas utilizando o prendedor e colocá-las dentro do recipiente. Inicialmente a criança precisará de demonstrações e ajuda para pegar as tampinhas, até que ela entenda como funciona o movimento de abre e fecha do prendedor.

Todas as atividades devem ter acompanhamento seguro de um adulto.

Tatiane Pereira Alves - SEMED

ACHE A TAMPA DO POTE

Educadora Rosi Gerioni - CMEI Enedina Alves Marques