Um momento só nosso

INTELIGÊNCIA EMOCIONAL INFANTIL

Objetivos: Conhecer um pouco mais sobre alguns pontos que fazem parte da educação emocional, como os sentimentos e emoções. Ênfase para a empatia, que é a capacidade de se colocar no lugar do outro, na análise das situações.

Materiais necessários: Smartphone ou computador com acesso à internet, para assistir o vídeo de orientações (pais) e o vídeo temático (família toda). Bloco/caderno/folhas e canetas/lápis.

Participantes: A criança e toda a família. Lembrar de organizar um momento do dia que seja o melhor para que toda a família esteja reunida, para a realização da atividade.

Necessidade de suporte: Pouco suporte.

Descrição da Atividade:

Os pais/responsáveis devem assistir (sozinhos) o vídeo “Inteligência Emocional Infantil em 5 passos - Isa Minatel”, no link https://www.youtube.com/watch?v=so5xsHUiSOQ. Este vídeo poderá ser assistido quantas vezes necessário, para que se organize as atividades do dia a dia.

Atividade 1: Após assistir o vídeo ‘Ponte’, cada um deve anotar ou desenhar o que foi mais significativo para si neste vídeo

Atividade 2: Roda de conversa: de posse de suas anotações,são trazidos os temas principais do filme:

  • Quem são os personagens do desenho?
  • O que estava acontecendo?
  • Qual foi a atitude dos personagens Alce e Urso, em relação aos outros?
  • Você também costuma agir desse jeito? O que pensa a respeito?
  • Qual foi a ação do Guaxinim e do Coelho?
  • O que você pensa a respeito dessa ação?

Conversar sobre a moral da história: Cada um da família deve refletir e contar aos outros com qual personagem ele se identificou mais. Será que há pontos a melhorar?

Junto da criança, assistir o vídeo Meditação com Divertidamente

Atividade 3: (para os pais): Com base no vídeo da Isa Minatel, organizar (se necessário por escrito), uma forma de lembrar de efetivar os 5 passos para auxiliar no desenvolvimento da inteligência emocional da criança.

  • Passo 1: Aprender a reconhecer e nomear as emoções;
  • Passo 2: Motivar a criança a expressar o que sente, usando palavras;
  • Passo 3: Conectar a emoção às situações (estabelecer as relações de causa e efeito);
  • Passo 4: Validar a emoção;
  • Passo 5: Ajude a criança a buscar a solução.

Atividade 4: Se a família quiser exercitar a meditação, pode fazê-lo pelo vídeo de meditação guiada

SOBRE INTELIGÊNCIA EMOCIONAL!
IMPORTANTE: As crianças são educadas pelo exemplo, então é importante que o adulto também verifique se está reconhecendo as suas emoções e como estão lidando com as situações. Não é o caso de se promover o “controle total” das emoções, pois todas são importantes para nosso desenvolvimento saudável. O que se deve prestar bem atenção é a forma de expressar essas emoções, fazendo com que essa expressão seja adequada para todos, aliviando a criança, mas respeitando os que estão em torno. É fundamental que o adulto esteja disposto a trabalhar junto com a criança e que tenha paciência, uma vez que esse pequeno ou esta pequena está em formação ainda. No caso das emoções e sentimentos, ela muitas vezes não sabe o que está sentindo e não sabe lidar com aquela situação de outra forma.
RECOMENDAÇÃO! É muito importante que essas atividades sejam desenvolvidas em grupo, com a família reunida. Como conversamos nas semanas anteriores, todos têm seu lugar especial na família e, diante disso, cada um é uma pecinha do quebra-cabeça, que tem sua forma e seu jeito, mas que é indispensável na construção desse sistema familiar. É importante para o adulto desenvolver o autoconhecimento, reconhecendo a forma que foi educado (quando criança) e ter uma visão crítica a essa educação recebida, compreendendo o que foi bom e deve ser repetido e o que não foi bom e deve ser evitado ao máximo na educação do seu filho.

CALENDÁRIO – MÊS DO AFETO

Objetivos: Realizar junto com seus filhos atividades importantes durante o mês, aprender o funcionamento do calendário acompanhando a passagem dos dias.

Materiais necessários: Baixar o calendário e seguir as orientações para cada dia.

Participantes: Para ser realizado em família.

Nível de necessidade de suporte: Pouco suporte

Descrição: Este calendário permitirá que os pais ou responsáveis participem de perto nas atividades com as crianças. No primeiro dia é preciso realizar combinados com a criança sobre as tarefas que serão realizadas durante o mês. Saber as datas é o primeiro passo para despertar na criança o interesse pela participação. É importante combinar o horário e preparar com antecedência o material que será necessário para realizar a atividade do dia.

EM Antonio Andrade - Prof. Lilian

O planejamento do calendário e sua execução é de extrema importância para o funcionamento deste período em casa. Desta forma, é indispensável que caso haja qualquer alteração no dia, os pais ou responsáveis retomem a atividade no dia seguinte.

O amor reside no carinho, no afeto e na beleza dos pequenos gestos.

Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image


QUE TAL BRINCAR DE CASINHA!

Objetivos: Experimentar as diversas texturas dos materiais, explorando o mundo a sua volta, de acordo com seus desejos e suas capacidades. Aprimorar a coordenação motora fina, ou seja, a habilidade do tato – as mãos.

Materiais necessários: Acessórios de brinquedo como panelinhas, colheres plásticas, pote, galhos, folhas, flores, pedrinhas, areia, barro, caixa de papelão e o que mais a imaginação permitir!

Participantes: criança e seus familiares.

Necessidade de suporte: Pouco suporte.

BRINCAR DE CASINHA

Descrição da atividade: Que tal brincar de casinha e chamar todos da sua família para a brincadeira? Alguém pode pensar... casinha?!! Isso é coisa de menina! Ah... não! Quero te incentivar a brincar, simples assim! Garanto que você e seus filhos irão gostar muito. A ideia é assim, peça para a sua criança pegar tudo o que quiser de acessórios (pote, panelinha, colherinha, tampa etc). E que tal emprestar um item da sua cozinha para a brincadeira? Organize o local da diversão. Agora, imaginem que estão indo ao “mercado”, “feira”, “sacolão de frutas e verduras” e juntos vão até o lado de fora da sua casa e “comprem” as folhas verdes e secas, flores de todo tipo que achar, gravetos, pedrinha, barro. Quando voltarem das “compras” comecem os preparos para o almoço ou jantar, explore a criatividade.

De qualquer forma lá vai uma sugestão de cardápio: suco verde e bolo de chocolate. Delícia! Mas atenção! Somente os brinquedos poderão comer, combinado! Para o suco, rasgue e esmague as folhas verdes dentro de um pote, coloque um pouco de água. Mexa bem. Prontinho. Sirva com uma florzinha no copo, seus brinquedos vão gostar.

Já para o bolo de chocolate, mistura a terra ou areia com um pouco de água. Mexa! Misture! Mexa de novo! Coloque as mãos ou use a colher, explore, aproveite esse momento. Se quiser, faça bolinhas. Coloque o seu bolo em um potinho. Para decorar, esmague as folhas secas e coloque por cima. HUUUMMM! Parece gostoso, não?!

Agora, arrume a mesa. Sirva uma fatia de bolo e um copo de suco para os convidados.

CONTAÇÃO DE HISTÓRIA – CADÊ TODO MUNDO

Objetivos:

Identificar os cinco sentidos;

Estimular as sensações;

Desenvolver o autoconhecimento;

Aguçar os sentidos e expressões;

Reconhecer e identificar os diferentes sons, cheiros, sabores, texturas e imagens.

Materiais necessários: Arquivo (pdf) do Livro “Cadê todo mundo?”. Autor: Jane Prado.

Participantes: Para ser lido em família.

Necessidade de suporte: Médio suporte

Descrição da atividade: Realize a leitura do livro juntamente com seus familiares. Após esse momento é a vez de vocês realizarem uma atividade. Um responsável irá vendar os olhos da criança com segurança e começar a atividade:

  1. Audição: fazer sons com a boca, objetos ou uma música para a criança tentar acertar qual é o som.

  2. Paladar: Separar alguns alimentos e oferecer para a criança tentar acertar qual é o alimento.

  3. Olfato: Separar algum objeto, comida ou perfume para a criança tentar acertar qual é o cheiro.

  4. Tato: Separar alguns objetos ou brinquedos para a criança tocar e tentar acertar o que tem em mãos.

  5. Visão: Com os olhos vendados dar orientações para que a criança consiga chegar em algum cômodo da casa.

CONTAÇÃO DE HISTÓRIA – LIVRO GRANDE OU PEQUENA?

Objetivos: Desenvolver uma imagem positiva de si, atuando de forma cada vez mais independente, com confiança em suas capacidades e percepção de suas limitações.

Materiais necessários: Arquivo (pdf) do Livro “Grande ou Pequena”. Autor: Beatriz Meireles.

Participantes: Para ser lido em família.

Necessidade de suporte: Médio suporte

Descrição da atividade: Ler junto com a criança a história Grande ou Pequena?””, de Beatriz Meirelles. É comum as crianças se perguntarem se são grandes ou pequenas e, no dia a dia, muitos familiares se deparam com as mesmas situações vivenciadas com a família de Mariana. Aproveite para, juntamente com a criança, criar uma lista, assim como a família de Mariana fez, com atividades que as crianças da sua família já podem desenvolver pois já são “grandes” o suficiente para isso e outras em que ainda são “pequenas” (observe a tabela abaixo como forma de exemplo). Vocês também podem aproveitar e procurar algumas fotos da criança de quando era mais nova e o que ela fazia naquela idade. Ao final da atividade estabeleça combinados com as crianças para que possam ajudar em atividades de casa que já são “grandes” o suficiente para fazer.

  • SOU MUITO PEQUENA PARA: MEXER COM FACAS AFIADAS

  • JÁ SOU GRANDE O SUFICIENTE PARA: ARRUMAR A MINHA CAMA


A AUTOESTIMA INFANTIL

Objetivos: Conhecer um pouco mais sobre a autoestima infantil, inclusive como pode-se auxiliar, enquanto pai/mãe/responsável, no desenvolvimento desse fator na criança.

Materiais necessários: Smartphone ou computador com acesso à internet, para assistir o vídeo ilustrativo (pais) e o vídeo temático (família toda). Bloco/caderno/folhas e canetas/lápis, impressora para atividade anexa (se possível).

Participantes: A criança e toda a família. Lembrar de organizar um momento do dia que seja o melhor para que toda a família esteja reunida, para a realização da atividade.

Necessidade de suporte: Pouco suporte.

Descrição da Atividade: Os pais/responsáveis devem assistir (sozinhos) o vídeo Autoestima Infantil.

A AUTOESTIMA INFANTIL - ATIVIDADE 1

Após assistir o vídeo ‘Pip’, cada um deve anotar ou desenhar o que foi mais significativo para si neste vídeo

A AUTOESTIMA INFANTIL - ATIVIDADE 2

Roda de conversa: de posse de suas anotações,são trazidos os temas principais do filme:

  • Quem é o personagem principal?
  • O que ele sonhava ser?
  • Qual o local que se passa a história?
  • Ele era igual ou diferente dos outros cães?
  • Ele conseguia fazer as atividades igual os outros? Exemplos.
  • Como ele se sentiu quando teve dificuldades?
  • Pip observou algumas fotos na parede? O que elas estavam noticiando?
  • E qual foi a atitude dele depois disso?
  • O que aconteceu no dia da prova?
  • O que aconteceu quando ele saiu da escola?
  • Conversar sobre a moral da história: Embora se enfatize o treinamento dos cães-guia, nessa história conseguimos perceber que nem sempre temos que apresentar o “modelo ideal” para conseguirmos conquistar os nossos objetivos. Com atenção, dedicação e perseverança, podemos conseguir o sucesso. Cada um tem sua maneira de se adaptar e isso é muito importante na construção da sua identidade. Todos somos importantes!

A AUTOESTIMA INFANTIL - ATIVIDADE 3

PARA OS PAIS

Durante a semana anotar no caderno (bloco, folha…) a cada dia três coisas boas que você fez. Por exemplo: lembrei de regar a planta, terminei de pintar a parede da lavanderia etc. A atividade para os pais remete ao fato de que a promoção do desenvolvimento saudável na criança só é possível diante do próprio desenvolvimento enquanto pessoa. Para isso, para desenvolver a autoestima na criança, faz-se necessário lembrar de desenvolver a autoestima em si!


PARA AS CRIANÇAS

Fazer uma planilha com o nome das pessoas da família que são mais próximas da criança. Ao lado do nome de cada pessoa pedir que ela escreva ou desenhe o que ela mais admira, o que ela acha mais legal naquela pessoa (só vale elogio, hein?)

A AUTOESTIMA INFANTIL - ATIVIDADE 4

Imprimir o modelo anexo de atividade e, junto com a criança, pedir que ela elenque as suas capacidades. Se ela não souber escrever, o adulto pode escrever por ela, ou ainda, ela pode desenhar! Se você não conseguir imprimir, pode copiar a atividade em uma folha avulsa, é bem simples!

Recomendação: É muito importante que essas atividades sejam desenvolvidas em grupo, com a família reunida. Como conversamos na semana passada, todos têm seu lugar especial na família e, diante disso, cada um é uma pecinha do quebra-cabeça, que tem sua forma e seu jeito, mas que é indispensável na construção desse sistema familiar

ATIVIDADE SENSORIAL COM TINTA E GELO

Objetivos de desenvolvimento: Explorar os sentidos: visão, tato, audição, paladar, olfato, movimento e equilíbrio.

Materiais necessários: Forminha de gelo, água, tinta não tóxica (ou corante), bacia, papel branco.

Nível de necessidade de suporte: Pouco suporte

Descrição: Utilizando uma forminha de gelo, os pais e as crianças podem colocar água com tinta ou corante. Esperar congelar e deixar a criança manusear livremente, em uma bacia, papel branco ou até mesmo no banho. Se não houver tinta, você pode ferver beterrabas e congelar a água após fervura. Para intensificar a cor, bata a água com pequenos pedaços do vegetal juntamente com um pouco de sabonete líquido ou creme hidratante. No banho, será muito divertido!

Carousel imageCarousel imageCarousel image

CATAVENTO

Objetivos de desenvolvimento: Atividade sensorial que desenvolve o controle e o ritmo da respiração, ajuda no equilíbrio físico e emocional e melhora a capacidade de percepção sensorial e mental.

Materiais necessários: 1 folha de papel, 1 palitinho de churrasco, 1 alfinete, 1 canudinho, uma rodela de papel, cola, tesoura, lápis de cor, tinta ou papéis coloridos para enfeitar o cata-vento

Participantes: A criança e seus familiares.

Nível de necessidade de suporte: Médio suporte.

Descrição:

  1. Primeiro, nós vamos recortar um quadrado com lados de 20 cm cada. Divida esse quadrado em quatro triângulos, traçando as diagonais. Pinte ou faça uma colagem diferente em cada um desses triângulos. Mas só de um lado da cartolina.

  2. Agora, faça um traço nessas marcas diagonais, tomando cuidado para que os traços não se encontrem no centro do quadrado. Use uma régua para medir, os traços devem ter o mesmo tamanho. Depois disso, recorte a linha tracejada. Está na hora de montarmos nosso catavento! Pegue uma ponta do triângulo e leve até o meio do quadrado. Não precisa dobrar! Fixe com a cola. Faça isso com uma ponta de cada triângulo alternadamente.

  3. Para dar estabilidade ao catavento, recorte uma rodela de cartolina. Com um alfinete, faça um furo exatamente no meio desse círculo. Leve o círculo até a “cabeça” do alfinete. Fure também o centro do catavento e prenda-o com a cola ao círculo. Um pedacinho de canudinho enfiado no alfinete antes de ser pregado no palitinho de churrasco também ajuda o catavento a ter mais estabilidade. Por último enfie o alfinete no palitinho de churrasco como se fosse um prego. Para evitar que a ponta do alfinete machuque alguém durante a brincadeira, corte um pedacinho de borracha e prenda no alfinete como uma tarraxa sem deixar sobrar ponta.

VAMOS BRINCAR DE RESPIRAR

Objetivos de desenvolvimento: Atividade sensorial que desenvolve o controle e o ritmo da respiração, ajuda no equilíbrio físico e emocional e melhora a capacidade de percepção sensorial e mental. Soprar, muitas vezes, além de ser uma brincadeira divertida, é considerada uma brincadeira motora oral de grande importância para o desenvolvimento da fala, assim como para a capacidade de mastigar e engolir alimentos. Além disso, a respiração controlada e consciente pode ajudar a diminuir a agitação, melhora a concentração, alivia o stress e ajuda a combater a ansiedade. Brincando, as crianças podem aprender a controlar a respiração e consequentemente as emoções, algo que podem usar como uma ferramenta para se autorregular em qualquer situação.

Materiais necessários: 250ml de Água, 100ml Detergente, 2 colheres (chá) de Açúcar. Pote e canudo para fazer as bolas de sabão.

Participantes: A criança e seus familiares.

Nível de necessidade de suporte: Pouco suporte.

Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image

Descrição:

Primeiro estimule a criança a inspirar bem fundo, enchendo o peito de ar e depois soprar para fazer as bolhas;

Os primeiros sopros (exalações) podem ser rápidos, sem muito controle, para que faça muitas bolhinhas e possa desacelerar aos poucos;

Então comece a tornar a brincadeira mais difícil, peça para a criança ir soltando o ar bem devagarzinho e tentar formar bolhas maiores e maiores...

Outra sugestão (se tiver mais de uma criança ou com a participação dos pais) é sugerir uma competição para ver quem faz a bolha maior. Vamos ver quem faz a maior bolha? Você ainda pode fazer essa atividade em grupo: um sopra e os outros estouram as bolinhas;

Outra sugestão com bolhas de sabão é o Vulcão de bolhas. Para isso você vai precisar encher um pote com cerca de ½ litro de água. Adicione alguns esguichos de detergente de lavar louça e pronto!! Em seguida, basta entregar à criança um longo canudo… o resto você já entendeu: soprar, soprar e soprar! Para dar o “efeito vulcão” é necessário continuar soprando até que as bolhas escorram do pote. Esta também é uma atividade divertida para duas crianças fazerem juntos ou um adulto e uma criança. Outra estratégia é colocar brinquedos no pote e pedir que eles sejam cobertos pelas bolhas do vulcão.

Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image

LEITURA - O LIVRO DA FAMÍLIA

Objetivos de desenvolvimento: Desenvolver o conhecimento acerca de si mesmo, sua história pessoal e fortalecer os vínculos familiares.

Materiais necessários: Arquivo do Livro da Família (PDF).

Participantes: A criança e seus responsáveis

Nível de necessidade de suporte: Pouco suporte.

Descrição: Sabe que as leituras não são simplesmente o “ler o que está escrito”? O primeiro passo é conversar com todo mundo que mora junto e combinar o horário em que será feita a leitura da história. Depois de decidido o horário da história, todos devem estar disponíveis naquele momento. O local é variável, de acordo com a possibilidade de cada família. O importante é que estejam todos confortáveis, por isso nada melhor do que o sofá (ou o chão) da sala. O livro não é longo e sugerimos que seja feita a leitura de algumas páginas por dia, umas 5, para dar o livro todo durante a semana. Tudo bem, local e horário determinados, é importante verificar quem gosta de ler em voz alta, quem gosta de contar histórias. Pode ser que todos gostem, então todo dia pode ser um leitor diferente. Como é um livrinho com muitas figuras, é legal que as crianças possam ficar perto do celular ou do computador para poderem ver as imagens. Prontos para a leitura?

Indagações:

Ao fim da leitura do dia, é bacana conversar sobre aquele pedacinho que foi lido. Por exemplo, logo nas primeiras páginas, o autor comenta sobre algumas famílias serem grandes e outras pequenas, umas terem a mesma cor e em outras todos terem cores diferentes. Ao final da leitura dessa parte, pode-se indagar às crianças como que é a família de vocês? O filho é mais parecido com a mãe ou com o pai? Quais são as características mais semelhantes? É a aparência ou o comportamento? Essas indagações continuam a cada parte lida.

Ficha de leitura:

Para guardar nas cabecinhas o significado dessa leitura, é muito importante fazer uma ficha de leitura, que será adaptada às mais diversas peculiaridades. Ela pode ser construída dia a dia e temos algumas dicas:

Para os pequenininhos: a cada dia, pode-se pedir que desenhe a parte do texto que ele achou mais interessante (pode-se usar materiais como massinha, colagem, recorte)

Para os maiorzinhos: eles podem escrever uma palavra significativa, uma frase, ou copiar uma frase do texto que achou interessante.

Para os que querem saber mais: pode-se fazer anotações já associando as características de sua família com a que está expressa no livro.

Para dar uma ajudinha a mais: no caso das crianças não se adaptarem bem aos materiais escolares (ou na falta de um), pode-se até mesmo fazer um vídeo com as crianças explicando como é a sua família.

No final da leitura, pode-se propor uma atividade do grupo (então no último dia vai demorar um pouquinho mais para terminar a atividade), como um desenho ou um recorte e colagem em que todos participem, explicando como é a família de vocês. O mais importante disso tudo serão os momentos que vocês passarão juntos, conhecendo a si mesmos e se reconhecendo nos familiares. A família é a reunião de pessoas que têm um vínculo de afeto entre si. Aproveitem para aprenderem a se conhecerem com calma e para transbordar muito carinho.

Até semana que vem!!!!

Semana 04 a 08 de maio

VAMOS MEDITAR?

Objetivos: diminuição da ansiedade, aumento do bem-estar e desenvolvimento da consciência de si mesmo.

Materiais necessários: computador, tablet ou celular para assistir o vídeo.

Participantes: criança e familiares.

Necessidade de suporte: pouco suporte.

Descrição da Atividade: preparar o ambiente onde será desenvolvida a atividade (desligando sons, dispondo de tapetinhos, cadeiras ou almofadas), rodar o vídeo e seguir as instruções.

Recomendação: depois de realizar algumas vezes esta prática em companhia dos responsáveis, a criança também poderá realizá-la sozinha se desejar.

VIRTUDES PARA CRIANÇAS

Objetivos: Proporcionar que as crianças conheçam o que são virtudes e como pode-se aplicar no dia a dia.

Materiais necessários: Smartphone ou computador com acesso à internet, para ter acesso às histórias e às imagens das cartinhas (ou vídeo).

Participantes: A criança e toda a família. Lembrar de organizar um momento do dia que seja o melhor para que toda a família esteja reunida, para a realização da atividade.

Necessidade de suporte: Pouco suporte.

Descrição da Atividade: As “cartinhas” das virtudes foram confeccionadas com base na divisão proposta no livro “O Livro das Virtudes para Crianças”, de autoria de William J. Bennett e ilustrações de Michael Hague.

Atividade 1 (para a semana): A cada dia da semana, no momento previsto para a reunião da família, escolhe-se uma cartinha (pode ser aleatório ou na ordem - podendo imprimir, se a família tiver essa possibilidade) e lê-se a história correspondente (o título da história corresponde ao da cartinha). Cada história destaca um tipo de virtude, sendo possível destacar, com a criança:

  • Qual foi a parte que ela mais gostou da história?

  • Se ela estivesse naquela situação, agiria da mesma maneira?

  • O que ela pensa do comportamento do personagem principal?

  • Pode desenhar o personagem principal da história.

VIRTUDES PARA CRIANÇAS

Atividade 2 (para a semana): No mesmo dia (se a história foi lida de manhã) ou no dia seguinte (se a história foi lida à noite), propor que todos da família se proponham a executar a virtude que foi escolhida na cartinha. Antes da leitura da história seguinte, pode-se anotar qual foi a atitude de cada membro da família, que ilustra o desenvolvimento da virtude apontada. Se quiser, pode colar a cartinha da “virtude do dia” em algum lugar que a deixe à mostra, ou ainda deixá-la com fácil acesso no celular.

Lembre de trabalhar uma virtude diferente por dia!

Carousel imageCarousel imageCarousel image

VIRTUDES PARA CRIANÇAS

IMPORTANTE: As crianças são educadas pelo exemplo, então é importante que o adulto também participe desse propósito e busque exercitar a virtude escolhida. É fundamental que o adulto esteja disposto a trabalhar junto com a criança e que tenha paciência, uma vez que esse pequeno ou esta pequena está em formação ainda. No caso das virtudes, a criança deve ser encorajada a se portar de maneira assertiva, colocando-se no lugar do outro e entendendo, aos poucos, o alcance das suas ações.

Recomendação: É muito importante que essas atividades sejam desenvolvidas em grupo, com a família reunida. Como conversamos nas semanas anteriores, todos têm seu lugar especial na família e, diante disso, cada um é uma pecinha do quebra-cabeça, que tem sua forma e seu jeito, mas que é indispensável na construção desse sistema familiar

Semana 18 a 22 de maio

NOS CONHECENDO MELHOR

Objetivo: Fortalecer a comunicação entre pais e filhos por meio da confiança para ambos os lados ao se sentirem à vontade para se expressar e se conhecer cada vez mais.

Materiais: folhas (caderno, sulfite etc)

1 tesoura ou régua (não necessário)

1 lápis ou caneta.

1 recipiente.

Participantes: Criança e familiares.

Necessidade de suporte: Médio suporte.

Como montar: Escrever com o lápis/caneta nas folhas perguntas com objetivo em auxiliar a criança e os pais a se expressarem em relação aos seus sentimentos, abaixo encontra-se algumas sugestões de perguntas:

  • Use uma palavra para descrever o que está sentindo agora!
  • Qual seu maior sonho?
  • Se você vir um colega chorando na escola (ou trabalho), o que você faria pra ajudá-lo?
  • Conte uma piada ou história.
  • O que as pessoas fazem que te machuca?
  • O que você pensa ao meu respeito?
  • Qual seu filme preferido?
  • Três coisas mais importantes da sua vida.
  • O que as pessoas falam que você não gosta de ouvir?
  • O que você não gosta de fazer?

Como jogar:

Coloque os papéis dobrados no recipiente escolhido.

Utilize a caneta/lápis como um tipo de roleta, quem girar, deverá fazer a pergunta e para quem apontar deve responder (em caso de três ou mais jogadores).

Aproveitem para conversar o que causam os sentimentos ruins e possíveis causas de resoluções.

No caso dos sentimentos bons, pensar em formas de repeti-los mais vezes durante o dia a dia.

Conversar em família é sempre importante para estabelecer confiança e segurança entre a criança e seus familiares. Fortaleça este vínculo!

Estagiária de psicologia - Hanna Lucia Menezes Vieira


QUADRO COM SUCATA

Objetivos: Desenvolver a percepção visual, a coordenação motora fina, localização espacial, coordenação olho/mão, estimulação tátil e a imaginação.

Materiais necessários: Duas bandejas de isopor, um pedaço de papelão, embalagem de pomada, creme dental ou similar, revista ou jornal, tirinhas de papel ou barbante, tinta, tesoura sem ponta e cola.

Participantes: A criança e toda a família.

Necessidade de suporte: Médio suporte.

Descrição da Atividade: Carimbar o pé da criança na parte de trás do isopor, colar as bandejas no papelão e o tubo de creme dental no meio, juntando as duas bandejas de isopor. Em seguida, fazer rolinhos com folhas de revista ou jornal para formar as molduras colando ao redor das bandejas de isopor.

Recomendação: Para esta atividade é aconselhável a supervisão de um adulto.

CADS Helen Keller - Prof Marlize

Semana 25 a 29 de maio

ATIVIDADES DE REEDUCAÇÃO VISUAL PINTURA

Objetivos:

Estimular a fixação e acomodação visual aproveitando ao máximo a visão residual de crianças que apresentam algum grau de deficiência visual;

Identificar através de materiais manipuláveis detalhes como: cores, formas, texturas e tamanhos;

Desenvolver a coordenação motora fina, o tato, as noções espaciais e a capacidade de análise e síntese.

Materiais necessários: Vídeo, pedaço de papelão, canetão, durex largo, pincel, tinta guache e um pedaço de flanela para apagar.

Participantes: A criança e algum outro membro da família.

Necessidade de suporte: Pouco suporte.

Descrição da Atividade: primeiramente, acesse o vídeo que orienta a realização da atividade, um adulto deverá auxiliar a criança, deixando que ela escolha o que quer desenhar na prancha de papelão. Em seguida, passe o durex largo em cima do papelão já desenhado tornando-o plastificado, assim, a criança poderá pintar e apagar quantas vezes desejar.

CADS Hellen Keller - Prof. Marli

Recomendação: A estimulação visual realizada de maneira lúdica faz toda a diferença na aprendizagem da criança com deficiência visual. A interação desta criança com o meio em que está inserida, seja ele educacional ou familiar, é essencial para seu desenvolvimento global. Não perca oportunidade de brincar e conversar com seu pequeno.

Referências:

https://www.facebook.com/1945584329086556/posts/2467551873556463/?sfnsn=wiwspwawes&extid=WtI8zo4LZEI1O5Rk&d=w&vh=e

Semana de 01 a 05 de junho

ABC DOS COPOS

OBJETIVOS: Desenvolver atenção, concentração, agilidade, percepção, coordenação motora e ritmo.

MATERIAIS NECESSÁRIOS: Copos de plásticos, mas podendo realizar adaptações com outros objetos que tiverem em casa. Exemplo tampinhas de garrafa pet. Depois escolha um local para realizar a atividade podendo utilizar uma mesa ou até mesmo fazer uma roda no chão.

PARTICIPANTES:A criança e todos da família.

NECESSIDADE DE SUPORTE: Pouco suporte.

DESCRIÇÃO DE ATIVIDADE:Essa é uma brincadeira onde toda a família pode se divertir e ao mesmo tempo estar desenvolvendo as habilidades de organização, trabalho em equipe como também a concentração e ritmo. Assista ao vídeo junto com todos que irão participar da brincadeira e depois é só se soltar.

ABC dos copos a batucadaPega copo (repete 2 vezes)Passa copo (repete 2 vezes)Vira copo (repete 2 vezes)Tá tum dum, tá tum dum
A galinha não voaA pobre galinha não sabe voar;Enquanto um avião vive pelo ar;Se ele é tão pesado;E a galinha não;Então porque ele voa e a galinha não.

EM Dona Maria ChalcoskI - Prof. Sirlene Mamede – SRMF

ARTE COM NOMES

Objetivos:

Interação com a família;

Trabalhar a empatia com o próximo;

Estimular o interesse pelas artes e uso da criatividade;

Materiais necessários: Folhas de papel e riscantes como canetas, lápis, giz, tinta, etc.

Participantes: Toda a família

Necessidade de Suporte: Baixo suporte

Na atividade de hoje vamos explorar nossa criatividade para presentear as pessoas que mais amamos através da arte da escrita!

Passo 1: Escrever o nome de alguém de sua casa (ou o seu) em letra caixa alta. Passo 2: Escrever novamente o nome em caixa alta, por cima do nome (se deixar um pouco distante da primeira escrita vai tornar o efeito mais legal!).

Passo 3: Agora irá escrever o nome novamente por cima mas em letra cursiva (se deixar as letras mais espaçadas e fizer todas em letra minúscula dará um efeito mais bonito).

Parece que ficou uma bagunça não é? Mas Agora iremos da cor a essa bagunça toda!

Passo 4: Pinte cada um dos espacinhos fechados que formou, agora use sua criatividade, pode fazer colorido, tons parecidos, degradê, as cores do arco-íris, etc.

Estagiária de psicologia Hanna L. M. Vieira - SEAPE/GESPI

Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image

QUIZ DE FAMÍLIA

Objetivos: Desenvolve a linguagem e comunicação interpessoal. Auxilia no conhecimento mútuo e expressão emocional das crianças.

Materiais necessários: papel sulfite; lápis colorido e tesoura.

Participantes: Toda a família

Necessidade de suporte: Médio Suporte

Descrição: Escrever perguntas sobre a família e membros da família em pequenos cartões de papel sulfite (conforme exemplo). E em outros cartões, desenhados no verso com uma bomba, colocar desafios. As perguntas e desafios podem ser escritas por um dos membros ou em uma construção coletiva. Todos os cartões são empilhados misturados. OBS: quando a criança ainda não souber ler, quem vai ler será outro familiar.

Sugestão de Perguntas

Qual a comida preferida da mamãe?Qual a brincadeira preferida do _________?Quem é o familiar mais bravo?Que dia é o aniversário da (o) ___________Qual o programa de televisão ______ mais assiste?Quem fica mais no celular?Quem é mais bravo?Quem ajuda mais?No que a mamãe/ papai trabalha?Quem é mais bagunceiro?A pessoa de casa mais alegre é? O que _______ mais gosta de fazer?Quem mais demora no banheiro?Quando é o aniversário do papai?Qual o maior tique do (a) __________?Qual é o maior sonho do(a) _________?Quem é o (a) melhor amigo (a) do __________?Quem é mais medroso (a)?Quem é o mais comilão de casa?Quantos anos a (o) vovó (ô) tem? _____?

Sugestão de Desafios

Ficar duas rodadas com uma peça de roupa de outro membro da famíliaImitar o (a) irmãoImitar o paiRepetir o que a mamãe mais falaDeixar que um familiar faça um desenho no seu rosto, usando batomLavar a próxima louçaTirar uma self mostrando a línguaMandar um recado no whatsapp para alguém que conheceFicar por baixo no “bolinho humano”Massagear os pés de um familiarFazer uma declaração de amor para _______?Servir um copo de água para um familiarDeixar um familiar fazer um penteado malucoExperimentar de olhos fechados algo que um familiar trouxerDançar uma música colocada pela famíliaDeixar ser enrolado por papel higiênicoAbrir o botão de uma roupa com uma mão sóSegurar por __segundos um cubo de geloReceber cócegas de todos os familiaresFazer uma caricatura de um familiar

Observação: As perguntas são apenas sugestões. É preciso adaptar algumas de acordo com a estrutura e dinâmica de cada família.

Psicóloga Claudia de Lara - SEAPE/GESPI

KARAOKÊ EM CASA

Objetivos:

Despertar envolvimento com diferentes ritmos musicais;

Proporcionar momentos de diversão em família;

Estimular a coordenação motora ampla e a oralidade.

Materiais necessários: aparelho de televisão, celular ou tablet conectado à internet

Participantes: Toda a família

Necessidade de Suporte: Baixo suporte

Descrição da atividade: Esta atividade é proposta para um momento de diversão por meio da música! O que acham de cantarmos todos juntos e fazer uma noite do Karaokê? Ou se você não é muito de cantar uma noite de dança? E o melhor de tudo, com toda segurança dentro de nossas casas.

Existem alguns canais no youtube que nos proporcionam essas atividades, como alguns dos listados abaixo:

KARAOKÊ

* Canal EWELLY BIANCA: Tem uma lista de vídeos karaokê com músicas somente de conteúdo infantil. Ele possui músicas do universo Disney até das novelas infantis. (Link da lista: https://www.youtube.com/playlist?list=PLW852DvlSthPCbtbx4ebts7ORiKjXenQ4 ).

* Canal Flavia Cavalcanti: A lista de músicas infantis para karaokê nesse canal variam entre músicas da Disney, Galinha Pintadinha, Palavra Cantada, etc. (Link da lista: https://www.youtube.com/playlist?list=PLRoJ7IzRBiNgCoIGdUDqLi8JcmrvkvsQ- )

Você pode encontrar outras opções de músicas para sua noite de Karaokê buscando os seus vídeos preferidos no Youtube, há uma variedade é enorme.

DANÇA

No youtube também podemos encontrar opções para uma noite de dança! Existem alguns canais que nos oferecem um pouco da experiência que o jogo “Just Dance" proporciona. Você não precisa ter um vídeo game e a diversão é garantida! Uma opção de playlist do jogo você encontra no canal ArthurVideoSong ( Link da playlist: https://www.youtube.com/playlist?list=PLxFYXmUNiScb8DlYveGe0De-aJwHKOeHY ).

Vai ser uma atividade divertida para relaxar e passar um tempo de qualidade com quem você mais ama!

Estagiária de psicologia Hanna L. M. Vieira - SEAPE/GESPI

Semana de 15 a 19 de junho

MOMENTO DA ARTE: PINTANDO SENTIMENTOS.

Objetivos:

  • Expressão dos sentimentos;

  • Conexão entre a família;

  • Trabalhar a criatividade;

Materiais necessários: Papel e lápis de cor, giz de cera, tinta, etc. Qualquer material que possa ser usado para colorir.

Participantes: Toda a família.

Necessidade de Suporte: Baixo suporte.

Os pais ou responsáveis deverão falar com as crianças para nesse momento tentarem ficar mais calmos se estavam agitados, faça com eles respiração profunda para que possam ficar mais relaxados.

Após isso a criança deverá fechar seus olhos, e o responsável vai perguntar como ela está se sentindo naquele momento, após a resposta da criança, perguntar “quando você diz essa palavra ou pensa neste sentimento, qual cor e imagem vem a sua cabeça?”.

A partir disso o responsável irá entregar para a criança uma folha de papel e um lápis da cor em que a criança falou, e pedir para que ela façam desenhos que representem aquele sentimento utilizando somente aquela cor podendo variar de tons. Lembre-se a criatividade é uma peça fundamental para essa atividade, além de ser muito divertida!

Estagiária de Psicologia - Hanna Vieira

CAÇA AO TESOURO

Objetivos:

  • Estimular o resgate de informações e conhecimentos.

  • Diversão

  • Estímulo de boa convivência entre os que residem juntos.

Materiais necessários: Papel, Caneta, e algo que se torne o prêmio.

Participantes: Todos na residência.

Necessidade de Suporte:

Hoje vamos brincar um pouco explorando nossas áreas de conhecimento.

Alguém deverá ficar responsável por:

Decidir qual será o tesouro (pode ser qualquer coisa, um presente real ou apenas algo significativo);

Onde irá esconder o tesouro;

Escrever perguntas e dicas para chegar ao tesouro (pode ser de conhecimentos gerais como, por exemplo, o que tem aprendido nas aulas online, a respeito da pandemia, etc.);

*Escreva as perguntas e só após a resposta correta dê a dica*

Acompanhar o processo até a chegada ao prêmio;

Quem for procurar o tesouro deverá se atentar a responder as perguntas de forma correta, pense bem e relembre aquilo que você aprendeu! Logo chegará ao tão estimado tesouro perdido e então será a sua vez de ficar responsável por todo o mistério deste tesouro!

Estagiária de Psicologia - Hanna Vieira.

APRENDER A COSTURAR É PARA TODOS

O site Toda criança pode aprender publicou um texto abordando a importância de aprender a arte da costura ainda na infância. Por que, afinal, ensinar as crianças a costurar?

“No mundo contemporâneo, apesar de as pessoas comprarem roupas em loja em vez de costurá-las, o hábito da costura é uma habilidade que vai muito além de saber fazer bainha: trata-se de uma atividade que exercita a criatividade e a chamada coordenação motora fina, que é a capacidade de realizar tarefas delicadas e precisas com as mãos”, diz o texto.

A partir do aprendizado da costura, a criança ganha perspectiva sobre o que é remendar com as próprias mãos. Costurando, as crianças podem desenvolver também uma maior noção sobre consumo, à medida que fizer a própria roupa, nem que seja eventualmente. Amplia a consciência de que todo produto é um processo, que traz consigo o trabalho de muitas pessoas. “Essa noção pode ser uma aliada para conversar sobre práticas de consumos conscientes”


“Por meio da costura, ela pode passar a compreender como as roupas são feitas, quanto tempo demora e qual é o esforço envolvido”

Finalmente, costurar é um grande exercício de paciência. Um projeto de costura, ainda mais quando na fase de aprendizado, envolve ficar sentado por um longo período de tempo, com foco e delicadeza. Muitas vezes é necessário refazer alguma coisa, o que pode ser bom, já que também aprendemos errando e tentando de novo até acertar.

Dicas para brincar de costura com as crianças (Atenção!)
  • Sempre supervisione o momento de costura, já que envolve peças pequenas e pontiagudas (agulhas e alfinetes);
  • Ensine medidas de segurança, como nunca colocar agulhas na boca. Sempre que não estiver usando a agulha espete-a em uma almofada de alfinetes, de modo a nunca a perder de vista;
  • Para evitar que a criança machuque os dedos com a agulha, providencie um dedal ou alguma proteção;
  • Use linhas coloridas e pedaços de tecido variados, com diferentes cores, estampas e texturas: além de mais divertido e visualmente chamativo, é um jeito de ensinar a criança sobre os diferentes tecidos que existem;
  • Desenhar em cima do tecido e seguir o padrão depois com a agulha e linha é um jeito fácil de começar a aprender;
  • Oriente as crianças a inventarem projetos pequenos ou monte um projeto em família que vocês possam fazer juntos ao longo de vários dias, semanas ou até meses.

Abaixo o vídeo, com sugestões de costuras para iniciantes, elejam a que melhor se adaptarem e mãozinhas à obra!

EM Antonio Andrade - Prof. Silvana de Gerone

POTE DA GRATIDÃO

Objetivos: estimular hábitos de expressão dos sentimentos em família.

Materiais necessários: um pote grande, papeis e canetas ou lápis

Participantes: Criança e um adulto

Necessidade de suporte: Médio suporte

Descrição da atividade:

O período de quarentena tem sido desafiador para as famílias. A rotina de atividades domésticas, tarefas escolares e o convívio diário estão a cada dia mais intensos.

Esta atividade visa estimular o agradecimento das pequenas coisas que acontecem na rotina da família e que muitas vezes nem lembramos de dizer obrigado.

Escolha um pote grande e enfeite-o como preferir. A cada fim de dia a família pode se reunir em um ambiente da casa e escrever (ou desenhar) em um papel algo para agradecer. Vale agradecer pelo alimento, pela brincadeira que fez no dia, pelas roupas que possui, pelo dentinho que nasceu, pelo telefonema da vovó, enfim, são diversas opções.

Deixe o Pote da Gratidão e os papéis sempre a disposição dos moradores da casa.

Eleja uma data para ler novamente suas produções e recordar momentos felizes em família!

Pedagoga Carla Schwarzbold Feldens – SEAPE/GESPI