Malhando a cuca

SOMANDO 10

Objetivos: Estimular a prática do cálculo mental usando a base 10.

Materiais: Cartas de baralho tradicional; ou cartas impressas em cartolina; ou cartas confeccionadas manualmente. Sempre quatro unidades de cada número. Ex: 4 cartas de número 1, 4 cartas de número 2.

Participantes: Este jogo pode ser aplicado em 2 até 4 participantes e um monitor.

Necessidade de suporte: médio suporte

Descrição:

O monitor (é a pessoa que irá conduzir o jogo) dispõe oito cartas sobre a mesa, viradas com os números para cima. Cada jogador terá a oportunidade de realizar uma jogada unindo 2 cartas que fazem a somatória 10. Por exemplo: 1/9; 2/8; 3/7; 4/6; 5/5. (assista ao vídeo explicativo) Nesta forma não existe ganhador, todos os jogadores terão a mesma quantidade de cartas, o monitor será também o mediador no caso de dificuldade em encontrar os pares.

Variante: estipular um tempo para que cada jogador encontre a solução. Desta forma o joga terá então um vencedor.

EM Chafic Smaka - Cristina Kirstein Pereira

ABRE E FECHA

Objetivos: Desenvolver a coordenação motora fina e a atenção.

Materiais necessários: Cadeados com chave.

Participantes: A criança e um familiar para auxiliar.

Necessidade de suporte: Pouco suporte

Descrição da Atividade: Coloque sobre uma bandeja os cadeados fechados com as chaves e solicite à criança que abra os cadeados, oferecendo ajuda se necessário. Depois dos cadeados abertos, feche todos, deixando sobre a bandeja, cadeados de um lado e chaves do outro. Solicite novamente que a criança abra o cadeado, só que desta vez, ela terá que encontrar a chave certa para poder abrir. A criança poderá repetir o abre e fecha de acordo com seu interesse.

Recomendação: Os pais ou responsáveis devem estar atentos à criança durante a atividade, não a deixando sozinha. Assim que encerrar a atividade, os pais ou responsáveis deverão recolher os materiais utilizados (cadeados e chaves).

CRIANDO E RECRIANDO

OBJETIVO: Desenvolver sequência numérica até 10, estimular o raciocínio lógico nas operações de adição e subtração.

MATERIAIS NECESSÁRIOS: Palitos de sorvete, rolo de papel higiênico numerando de 1 até 10 com canetinha. Para a segunda imagem, cabides de roupa e prendedores de roupas.

PARTICIPANTES: Para crianças com a orientação da família.

NECESSIDADE DE SUPORTE: Médio suporte.

DESCRIÇÃO DE ATIVIDADE: A criança poderá confeccionar esta atividade junto a orientação da família. Com os rolos de papel higiênico, para ficar mais interessante, poderá pintá-los. Também poderá pintar os palitos de sorvete se assim desejar.

Após, com canetinha, numere de 1 até 10 os rolos de papel higiênico. Então a criança deverá colocar a quantidade de palitos de sorvete referente ao número representado na frente do rolo. Assim, poderá ser desenvolvida a sequência dos números (do maior para o menor, o que vem antes e o que vem depois). E ainda a família poderá estimular o raciocínio realizando somatórias ou subtrações, ditando os números para realizar as operações matemáticas.

Variação: Utilizar as mesmas regras para brincar com os cabides e prendedores de roupas.

Exemplo: 2 + 5= 7

MALHANDO A CUCA

Objetivos: Compreender a transferência do objeto de um lado para outro, desenvolver a coordenação motora fina (pegar as tampinhas e encaixar).

Materiais necessários: Bandeja de morango ou qualquer outra bandeja de isopor, tampinhas de garrafas pets, qualquer pote com tampa, papelão para usar como suporte em baixo.

Participantes: Adulto confecciona, a criança faz com ou sem a ajuda do adulto.

Necessidade de suporte: Médio suporte

Montagem: Colocar o papelão embaixo, ou algum material que limite o espaço (na foto é a base amarela). A bandeja deve ser colocado do lado esquerdo e o pote do lado direito. A tampa do pote tem que ter uma abertura do tamanho das tampinhas de garrafa de refrigerante (garrafa pet). Se possível fixar este material na base, com super cola, fita adesiva ou cola quente.

Descrição da atividade: A criança deve colocar as tampinhas dentro do pote pela abertura, fazendo o movimento da esquerda para direita. Se a criança tiver dificuldades o adulto deve fazer o modelo sombra, ou seja, auxiliar pegando pela mãozinha e fazendo o movimento. Se a criança souber as cores, dizer qual cor de tampinha ela deve pegar e colocar no pote.

JOGO DA MULTIPLICAÇÃO COM CARTAS DO UNO OU DE BARALHO

Objetivos: Compreender o processo da multiplicação. Aprender números e cores. Associar número com a quantidade.

Materiais necessários: 1 caixa de papelão; grãos de feijões; cartas do Uno (pode ser de Baralho também).

Participantes: A criança e toda a família.

Necessidade de suporte: Médio Suporte

Montagem:

Cada jogador, na sua vez, deverá sortear uma multiplicação;

Com as cartas do UNO, todos os jogadores deverão montar a conta sorteada;

Colocar a quantidade de feijão correspondente por cima da carta;

Contar para saber o resultado;

Vence o jogador que encontrar o resultado primeiro.

* Para saber o passo a passo assista ao vídeo explicativo anexo a esta atividade.

APLICATIVO ABC DO AUTISMO

Objetivos de desenvolvimento: Desenvolver a imaginação, memória, atenção, noções básicas de tamanho, forma, figura e fundo. Aprender as letras, números, formação de palavras simples.

Materiais necessários: Aparelho de telefone celular ou tablet com o aplicativo instalado (procurar na play store com o nome: “ABC Autismo”). O uso do aplicativo é gratuito.

Participantes: A criança e toda a família.

Nível de necessidade de suporte: Pouco suporte.

Descrição: Os pais ou responsáveis devem primeiro instalar o Aplicativo ABC Autismo no celular. Após instalado, selecionar o nível de dificuldade. A criança vai realizar atividades de pareamento, encaixe, ligar pontos, colocar as letras das palavras, dentre outras.

Recomendação: Os pais ou responsáveis devem estar atentos ao tempo de uso da tecnologia por dia! Quando possível brinque junto com a criança e converse bastante com ela, auxiliando-a no desenvolvimento da socialização e da comunicação.

ATIVIDADES COM CARTAS DO JOGO UNO (OU BARALHO)

Objetivos de desenvolvimento: Identificar os números de uma sequência; compreender antecessores (o que vem antes) e sucessores (o que vem depois); associar e parear números iguais; desenvolver a atenção.

Materiais necessários: Cartas do Jogo UNO ou cartas de um baralho.

Participantes: Para ser jogado em família.


JOGO 1 – QUAL É O NÚMERO?

Nível de necessidade de suporte: Pouco suporte

Descrição:

Colocar vários números do 0 até 9 sobre a mesa (aproximadamente 15 cartinhas;

A criança irá sortear um número de um monte e deverá encontrar o número igual daqueles que estão sobre a mesa.

Nível de necessidade de suporte: Médio suporte

Descrição:

Colocar vários números do 0 até 9 sobre a mesa (aproximadamente 15 cartinhas);

A criança deverá sortear uma carta e encontrar o número que vem depois. Em um outro momento deverá encontrar o que vem antes.

JOGO 2 – MONTANDO UMA SEQUÊNCIA

Nível de necessidade de suporte: Muito suporte

Descrição:

Colocar sobre a mesa uma sequência numérica do 0 até 9. (As cartas deverão estar viradas com os números para cima);

Contar com a criança esta sequência;

Em seguida, a criança deverá sortear um número e colocar por cima do número igual, independentemente da cor;

Depois, a criança deverá selecionar as cartas com números e cores iguais, ou seja, encontrar o mesmo número da mesma cor;

Esta é uma ótima atividade também para aprender as cores, por isso a criança deve ser incentivada também a dizer o nome delas (verde, azul, amarelo, vermelho, preto).

Nível de necessidade de suporte: Muito suporte

Descrição:

A criança deverá colocar em sequência os números;

Em um outro momento, deverá completar uma sequência com os números que estão faltando.

JOGO DA VELHA

O Jogo da Velha é uma brincadeira para dentro e fora de casa que estimula a velocidade de raciocínio.

Materiais: folhas de papel, canetas (o que tiver em casa), fita crepe, pratinho de papelão, caixa de papelão, tampinhas de garrafa ou outras a gosto (tem que ser duas cores), tesoura.

Dica importante: a coleta dos materiais e a construção do jogo serão momentos de interação e muita diversão em família, por isso estimule seu filho (a) a participar desta construção.

Participantes: para ser jogado em família

Nível de necessidade de suporte: médio (para crianças a partir de 6 anos)

Descrição: Dois jogadores escolhem uma marcação cada um, geralmente um círculo ( 0) e um xis (X).

Os jogadores jogam alternadamente, uma marcação por vez, num espaço que esteja vazio.

O objetivo é conseguir três círculos ou três xis em linha, quer horizontal, vertical ou diagonal , e ao mesmo tempo, quando possível, impedir o adversário de ganhar na próxima jogada.
Quando um jogador conquista o objetivo, costuma-se riscar os três símbolos.
Se os dois jogadores jogarem sempre da melhor forma, o jogo terminará sempre em empate.
A lógica do jogo é muito simples, de modo que não é difícil deduzir ou decorar todas as possibilidades para efetuar a melhor jogada – apesar de o número total de possibilidades ser muito grande, a maioria delas é simétrica, além de que as regras são simples.
Por esse motivo, é muito comum que o jogo empate (ou “dê velha”).
Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image

JOGO DAS PEDRINHAS

Atividade: Jogo das Pedrinhas

Objetivos: Estimular a agilidade, coordenação motora e a lateralidade.

Participantes: duas ou mais pessoas.

Faixa Etária: a partir de 7 anos.

Material: cinco pedrinhas, mais ou menos do mesmo tamanho.

*Se preferir, confeccione com as crianças, cinco pequenos saquinhos de retalhos e encha-os com areia.

Necessidade de Suporte: Médio suporte

Descrição da atividade:

*Leia todas as instruções (ou solicite que a criança realize a leitura, se ela já sabe ler) e explique como será o jogo.

  • O jogador deve lançar todas as pedrinhas para o alto e deixá-las onde cair. Ele escolhe uma das pedrinhas lançando-a novamente para cima, tenta recolher uma das pedrinhas que ficou caída e, ao mesmo tempo, pegar a que lançou para cima com a mesma mão.

  • Na rodada seguinte, as “5 Marias” são lançadas para o alto mais uma vez, e deverão ser recolhidas de duas em duas o mais rápido possível.

  • Há várias fases e ganha quem conseguir ir mais adiante na brincadeira

Confira no vídeo no YouTube: “Jogo de Pedrinhas, Cinco Marias, Baliza, Bugalha, Pedrisco, Capitão, Xibiu / Família Lima”

E.M. Lírio Jacomel - Profª Laura

ENCAIXANDO AS PEÇAS

Objetivos de desenvolvimento: Desenvolver a atenção, a capacidade de observação e de memorização de imagens.

Materiais necessários: 01 caixa de pizza ou de papelão.

Participantes: A criança e seus familiares

Nível de necessidade de suporte: Pouco suporte

Descrição: Antes de começar a brincadeira desenhe sobre o papelão algumas formas, tais como: círculo, quadrado, triangulo, coração, sol, lua, e o que mais a sua imaginação mandar. Recorte com cuidado e reserve as partes. Então, convide a criança para decorar o papelão, pintando com lápis de cor ou giz de cera. Após a confecção do jogo, mostre à criança como ela deve encaixar cada peça em seu lugar.

BRINCANDO COM AS CORES

Objetivo: desenvolver a atenção, concentração, percepção e raciocínio.

Materiais necessários: uma folha branca, canetinha, lápis de cor ou giz de cera, palitos de sorvete.

Participantes: para criança e toda família.

Necessidade de suporte: pouco suporte

Descrição de atividade: a criança poderá confeccionar esta atividade fazendo bolinhas na folha branca. para fazer as bolinhas pode utilizar uma tampinha de refrigerante. ela deverá colorir as bolinhas com canetinha ou lápis de cor ou giz de cera. após deverá pegar os palitos de sorvete e fazer com canetinha as bolinhas utilizando as mesmas cores do qual ela pintou na folha branca as bolinhas e seguindo a regra de tres em tres, concluído a confecção do material é só partir para a brincadeira. espalhe os palitos de sorvete embaralhando-os, depois é só ver quem inicia a brincadeira. poderá ser realizada individual ou em dupla colocando o palito que escolheu em cima da folha branca com as bolinhas ´pintadas como pode ser visto na imagem.

CINCO JOGOS PARA APRENDER MATEMÁTICA BRINCANDO!!!

Participantes: Para toda a família.

Necessidade de suporte: Médio suporte

Descrição da atividade: assista o vídeo.

Objetivos:

Estimular o Raciocínio Lógico, a atenção, concentração e o processamento de Informação;

Identificar os números, a sequência numérica, antecessor/sucessor;

Associar os números/quantidades;

Compreender operações de adição/subtração;

Estimular a coordenação motora (ampla e fina).

Materiais necessários: cartas do UNO (pode ser baralho também), bola, fita crepe, feijões (para marcar a quantidade) e papelão.

JOGO DAS MÃOS

Objetivos:

Desenvolver a atenção;

Ampliar o conhecimento de números;

Compreender o princípio posicional dos números.

Materiais necessários: Uma folha de papel com as duas mãos desenhadas para cada participante, um dado e palitos de picolé de duas cores (um representará a unidade e outro a dezena);

Participantes: A criança e toda a família;

Necessidade de suporte: Pouco suporte.

Descrição da Atividade: Cada um, na sua vez, lança o dado. A quantidade que aparecer na face superior do dado após seu lançamento, corresponderá ao número de palitos (unidades) que devem ser recolhidos pelo jogador e colocados na imagem que reproduz os dedos das mãos. Passa a vez para o próximo jogador. Na rodada seguinte, se pega novamente a quantidade de palitos de picolé que sair na jogada do dado, colocando um em cada dedo das mãos do seu tabuleiro, não podendo colocar dois palitos em um mesmo dedo. Quando em todos os dedos houver um palito, devem-se recolher os 10 palitos e trocá-los por um palito da outra cor, que equivale à dezena. Os palitos que porventura sobrarem devem ser colocados novamente em cada um dos dedos. A cada rodada, continua-se colocando um palito em cada dedo, de acordo com os números que saíram no dado. Ganha o jogo quem fizer mais pontos após o número de rodadas estipuladas antes do início do jogo (sugestão de 5 rodadas).

Semana 11 a 15 de maio

JOGO DA MEMÓRIA

Objetivos: Desenvolver o raciocínio lógico, estimular a memória e promover o desenvolvimento cognitivo.

Materiais necessários: Bandeja de ovos, copinhos de iogurte, um pedaço de EVA ou cartolina, canetinha e cola ou durex (20 copinhos de iogurte, todos da mesma cor, 2 bandejas de ovos de papelão)

Participantes: Adulto confecciona, a criança faz com ou sem a ajuda do adulto.

Necessidade de suporte: Médio suporte

Montagem: Na cartolina ou no E.V.A., recorte 20 quadrados da mesma medida da parte de cima do copo. Escreva duas vezes os numerais de 1 a 10 com a canetinha, um em cada quadrado. Cole cada quadrado na parte de cima do copinho, totalizando 20. Apoie cada copinho na bandeja com o número virado para baixo, no vão em que os ovos são encaixados. Coloque os copinhos de forma aleatória nas bandejas.

Descrição da atividade: A criança vira dois copinhos e os encaixa no vão. Se encontrar os pares correspondentes, retira os potinhos. Se não encontrar, vira-os com a boca para baixo novamente até conseguir encontrar todos os pares. Simples, fácil e muito divertido!

DESCUBRA A CARTA

Objetivos: Estimular a prática do cálculo mental utilizando a operação inversa.

Materiais necessários: Para a execução do jogo precisamos de: cartas de baralho tradicional de A (1) a 10; ou cartas impressas em cartolina; e ou cartas confeccionadas manualmente. Sempre 4 unidades de cada número. Ex: 4 cartas de número 6, 4 cartas de número 10.

Participantes: Este jogo pode ser aplicado a 2 jogadores e um monitor.

Necessidade de suporte: Pouco suporte.

Descrição da Atividade

Os jogadores devem pegar uma carta do monte e colocar em sua testa, sem visualizar o valor, e com a carta virada para o outro jogador oponente. Após o monitor irá dar o resultado da operação combinada. Este jogo pode ser com os resultados das 4 operações dependendo do nível de conhecimento dos jogadores. jogo acaba quando as cartas do monte terminam. Ganha o jogo quem tiver a maior quantidade de cartas.

EM Chafic Smaka - Cristina Kirstein Pereira

FIQUE LIGADO!

O raciocínio lógico está ligado a conceitos capazes de organizar e clarear as situações cotidianas, preparando as crianças para circunstâncias mais complexas.

Dentre as melhores formas de se trabalhar o raciocínio lógico estão os jogos e as brincadeiras, além disso, leva a um rendimento geral mais satisfatório dos alunos.

Algumas atividades eficientes nesse sentido são os desafios o qual veremos a seguir.

Objetivos - desenvolver competências como:

  • agilidade;

  • atenção;

  • capacidade de analisar erros repetidos;

  • capacidade de melhorar a concentração na realização de atividades;

  • capacidade de assimilar conteúdo com mais rapidez;

  • capacidade de tomar decisões pensadas, de maneira mais rápida; mesmo sobre pressão;

  • leitura de imagem;

  • Valorizar e exercitar a memória;

Materiais necessários: apenas visualizar a figura no dispositivo móvel, tablet ou computador. Caso tenha acesso, poderá ser impresso.

Participantes: A criança e seus familiares.

Nível de necessidade de suporte: Pouco suporte

FIQUE LIGADO!

Descrição:

O que a família precisa fazer é disponibilizar o acesso a figura e seguir a observação, procurando nos detalhes até achar o que se pede.

Carousel imageCarousel image

JOGO DOMINÓ ONLINE

Objetivos: Desenvolver o raciocínio lógico, atenção, concentração e memorizar algoritmos simples.

Materiais necessários: Computador ou celular acessando o link https://rachacuca.com.br/jogos/domino/

Participantes: A criança joga com ou sem a ajuda do adulto com o computador.

Necessidade de suporte: Pouco suporte

Descrição da atividade: Como jogar "Dominó"

Escolha qual variação do jogo deseja jogar e o nível de dificuldade (fácil, médio ou difícil);

Use as suas habilidades e conhecimentos do jogo de dominó para ganhar as partidas.

No Dominó, as peças que apresentam o mesmo numeral em ambas as partes, são chamadas de carroça. Em cada rodada, os jogadores começam com 7 peças. Inicia o jogo o jogador que possuir a peça com maior número (prioridade para as carroças). Em seguida é dado prosseguimento ao jogo,

cada membro do grupo tem sua vez de jogar e passa sua vez quando não tem a peça com o número solicitado. Se o outro membro possuir a peça continua, se não, termina o jogo e ganha a rodada o jogador que acabar primeiro com todas as suas peças ou aquele que tiver a menor quantidade de peças.

OS DINOSSAUROS

Durante o tempo de atendimentos a estudantes do Município foi possível detectar o grande fascínio que esses seres, os Dinossauros, exercem sobre as crianças. De fato, eles eram fantásticos não é mesmo?

Pensando nisso, a turma de Altas Habilidades/Superdotação da EM Antonio Andrade gostaria de compartilhar informações com todos os interessados no assunto.

A seguir, disponibilizamos um texto do Paleontólogo/Professor Luiz Eduardo Anelli (USP) e Celina Bodenmüller que dentre muitas atividades exercidas, também é escritora. Eles são pioneiros trabalhando com essa temática entre escolas e crianças, no Brasil e no exterior.

Por que dinossauros?

Crianças adoram dinossauros! Eles são incríveis para elas por sua força e coragem, por sua magnífica aparência e por pertencerem a um mundo onde mistérios e desafios estão presentes o tempo todo. Os dinossauros também dão às crianças a primeira chance de se tornarem mestres em ciência e detentores de um conhecimento incomum. Assim, os dinossauros são uma grande

oportunidade de tocar a curiosidade das crianças. Clima, geografia, geologia, história, evolução, biologia, ecologia, entre tantos outros assuntos deslumbrantes podem ser ensinados pelos dinossauros.

Escrevemos livros para crianças sobre a pré-história. Explicamos de forma inteligente e divertida como ocorre a construção do conhecimento científico, e estimulamos as crianças a fazerem suas próprias descobertas.

O conhecimento obtido através do interesse verdadeiro é sólido e promove o desenvolvimento de capacidades críticas.

Em nosso cotidiano visitamos escolas para capacitar educadores e conversar com os alunos sobre nossos livros, apresentamos palestras, exibimos fósseis e mostramos como é o trabalho do paleontólogo, sempre com ênfase na pré-história do Brasil, praticamente desconhecida para a maioria das pessoas.

Acreditamos que a apropriação da pré-história do Brasil pelas crianças, colabora para a construção de sua identidade e cidadania. Afinal, quem não se sente orgulhoso de viver no país onde surgiram os mais antigos dinossauros?

Pensando com as crianças: (Para a produção de uma boa pesquisa e instigar a procura por respostas bem fundamentadas, algumas perguntas poderão ser lançadas, segundo Anelli).

  • Como sabemos que os dinossauros existiram?

  • Como seus restos ficaram preservados nas rochas?

  • Onde posso encontrar um dinossauro?

  • O que o paleontólogo leva na mochila para um dia de trabalho?

  • O que é um dinossauro? Anatomia e aparência.

  • Como os dinos se comportavam?

  • Você já viu um dinossauro hoje?

  • Você sabia que há vários tesouros minerais no Brasil que foram fabricados na pré-história?

Em seguida, você poderá e assistir à entrevista do LUDI com o Professor e esclarecer algumas dúvidas. Bacana, não é mesmo?

Bibliografia em co-autoria de Celina Bodenmüller: ABCDinos, Editora Peirópolis / Dinossauros, o Cotidiano dos Dinos Como Você Nunca Viu, Editora Panda Books / Almanaque dos Dinossauros, Editora Moderna.

Objetivos:

- Estimular a curiosidade e a pesquisa.

- Adquirir informações específicas com relação ao assunto de interesse.

Materiais necessários: Celular, computador ou Tablet.

Participantes: Toda família.

Nível de necessidade de suporte: Alto nível de interação e suporte de adultos.

Descrição: Questões levantadas pelo Paleontólogo Luiz Eduardo Anelli e Celina Bodenmüller a respeito da existência dos Dinossauros.

Vídeo com entrevista do professor Anelli, explicando de forma didática e acessível para crianças, sobre a Era dos Dinossauros na Terra.

Semana 25 a 29 de maio

SOMBRA DAS CHAVES

Objetivos: Fazer a associações das chaves com suas respectivas sombras; Estimular a discriminação visual; Desenvolver a capacidade de associação visual e atenção.

Materiais necessários: Chaves velhas ou sem uso, papel, lápis ou canetinha preta.

Participantes: Para construir precisa de um adulto.

Necessidade de suporte: Médio suporte.

Descrição da atividade: Junte algumas chaves que não são mais usadas, coloque uma de cada vez sobre a folha e desenhe seu contorno, depois você pode pintar dentro do contorno deixando o desenho em forma de sombra ou pode deixar somente o contorno, fazer isto com todas e ir mudando as posições (horizontal,vertical e inclinada) Depois de pronto, posicionar as chaves na direita e a folha na esquerda, a criança deve pegar uma chave de cada vez e colocar sob a sombra certa. Se ela não conseguir sozinha, pode pegar na sua mão e ir auxiliando.

EM Elis de Fatima Zem - Prof Priscila Pires (SRMF)

COLOCANDO PALITOS NO ESCORREDOR

Objetivos:

Desenvolver a coordenação motora fina;

Exercitar a concentração;

Trabalhar a percepção visual e o tato;

Desenvolver a imaginação;

Materiais necessários: Escorredor de macarrão ou arroz; dez ou mais palitos de churrasco, palitos de aperitivo ou canudos. É importante que os palitos caibam nos furos do escorredor.

Participantes: A criança e toda a família.

Necessidade de suporte: Pouco suporte.

Descrição da Atividade:

Coloque o escorredor de macarrão e restante do material em um canto da sala, de preferência no chão. Entregue os palitos para a criança, explique que ela precisa encaixar todos os palitos nos buraquinhos do escorredor. A criança pode somente encaixar os palitos nos furinhos, ou empurrar até sumir. A tarefa estará concluída quando a criança colocar todos os palitos nos furinhos do escorredor.

Recomendação:

Essa atividade pode ser feita com qualquer pessoa da família, pais, irmãos maiores, inclusive, podem brincar fazendo competições de quem termina primeiro, quem coloca mais palitos, ou seja, a família pode criar novas regras.

CADS Helen Keller - Prof. Lucilene Dezidério

JOGO - CORRIDA DA MATEMÁTICA

Objetivos: Desenvolver o raciocínio lógico e despertar a capacidade de resolver situação matemática.

Materiais necessários: Papelão, Cd’s usados, tampinhas de garrafa, E.V.A, cartolina ou papel colorido e canetinha.

Participantes: Adulto confecciona, a criança faz com ou sem a ajuda do adulto.

Necessidade de suporte: Médio suporte

Montagem: Com o papelão confeccione um tabuleiro (recorte um papelão em quadrado ou retângulo, depois monte-o igual ao modelo da imagem). Com os 2 Cd”s e papel faça uma roleta com números do 0 ao 9. Com o EVA ou cartolina faça o sinal de adição (+). Faça também as bolinhas para os jogadores avançarem no tabuleiro.

Descrição da atividade: O jogo possui um tabuleiro com duas roletas com números de 0 a 9. O tabuleiro pode ter até 4 jogadores, ou pode ser individual também. A criança deverá rodar as duas roletas, cada roleta vai parar em um determinado número, a criança deverá somar os dois números de cada roleta e responder o resultado da adição. O jogo pode ser feito também na subtração ou demais operações matemáticas, é só mudar o sinal da operação no tabuleiro. A criança poderá passar de nível quando responder corretamente todas as adições e avançar para a subtração, multiplicação e divisão. Ganhará quem passar por todos os níveis e alcançar a “Chegada” primeiro.

Professoras Rafaella da SRMF da EM Aroldo de Freitas, Andrea Quadros da SRMF da EM Anísio Teixeira e Ivone da SRMF da EM Odile Charlotte Bruinjé

Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image

DOMINÓ

Objetivos: - Desenvolver o raciocínio lógico matemático, a comunicação e a construção de informações compartilhadas;

- Compreender a representação decimal e a paridade;

- Memorizar algoritmos simples da tabuada;

- Estimular a tomada de decisões em em grupo.

Materiais necessários: peças de dominó, confeccionadas ou impressas, lápis de cor.

Necessidade de suporte: Pouco suporte.

Participantes: Aluno e família.

PREPARAÇÃO: Separe peças de um jogo de dominó ou confeccione conforme o exemplo, pintando as peças com uma cor para cada quantidade representada. Siga as regras do jogo para brincar.

REGRAS DO JOGO: Vire as peças com os números para baixo, embaralhadas e cada jogador fica com sete peças na mão. Se o número de jogadores for menor do que quatro, as pedras restantes são colocadas de lado, ainda viradas, no ‘cemitério’.

Começa o jogador com a dupla mais alta, normalmente a dupla de 6. Ele coloca a pedra na mesa e o participante à esquerda deverá encaixar uma de suas pedras que tiver o mesmo número em um dos lados, assim, serão abertas duas pontas diferentes e o jogador seguinte deverá colocar uma pedra em um dos lados, e assim sucessivamente. Se o adversário não tiver uma pedra com o mesmo número de um dos lados da mesa, deve recorrer ao cemitério e ‘pescar’ novas peças até tirar uma que se encaixe. Vence o jogador que eliminar suas pedras primeiro.

As partidas também podem ser jogadas em duplas, sendo que vence a dupla em que um dos jogadores terminar a quantidade de pedras primeiro. Nesse caso é preciso redobrar a atenção para que as jogadas também ajudem o parceiro.

EM D. Maria Chalcoski - Prof. Anna Lúcia (SRTFE/TDAH)

Semana de 01 a 05 de junho

DADO MÁGICO

Objetivos: Estimular o interesse por jogos e atividades de raciocínio lógico matemático, utilizando-se de recurso e método lúdicos.

Participantes: 1 ou mais

Faixa Etária: a partir de 7 anos

Material: dado

Necessidade de Suporte: pouco suporte

Descrição da Atividade: a atividade se resume em compreender que a soma das faces opostas de um dado totaliza sete. Cria-se uma cena de mágica para atrair a atenção da criança, mostrando que é possível adivinhar o resultado da face oculta do dado. Truque revelado, a criança logo percebe que não passa de cálculo.

Crie jogos e regras com a criança marcando os pontos, limitando tempo, utilizando mais dados…

EM Lírio Jacomel - Prof Laura (SE TFE/TDAH)

BATALHA DAS CARTAS

Objetivos: Estimular o raciocínio lógico e noções de adição.

Materiais necessários: Cartas com números e quantidades conforme modelo a seguir.

Participantes: Mínimo 3 participantes, podendo ser crianças ou adultos.

Necessidade de suporte: Suporte médio.

Descrição da atividade:

Organiza-se um trio para que seus componentes disputem entre si.

Um dos participantes do trio embaralha as cartas. Depois, forma um monte com elas, deixando a parte escrita virada para baixo.

Decide-se ou sorteia-se a ordem de jogada de cada participante.

Um participante por vez retira uma carta do monte. Em seguida, o trio compara as três cartas.

O jogador que tirar a carta com maior número fica com as três cartas. Se houver empate, todos devolvem as cartas e retiram outras aleatoriamente.

Uma nova rodada é iniciada, seguindo as regras anteriores.

O jogo continua até que acabem as cartas a serem compradas.

No final da partida, o componente do trio que tiver mais cartas é o vencedor.

EM Prof. Thereza Correa - Prof. Andressa SR TFE/TDAH

BRINCANDO E APRENDENDO COM PALITOS

Objetivos: desenvolver competências como:

assimilar conteúdo com mais facilidade;

estimular a noção de espaço;

exercitar a memória;

habilidades de raciocínio como organização e atenção;

leitura de imagem;

melhorar a concentração na realização de atividades;

Materiais necessários: palitos de fósforo ou palitos de picolé.

Participantes: A criança e seus familiares.

Nível de necessidade de suporte: Pouco suporte

Como atividade lúdica os palitos também ajudam no desenvolvimento do raciocínio lógico, no desenvolvimento de estratégias para resolver situações problemas que nos são apresentadas.

Por meio da produção de desafios colocamos os alunos diante de situações para ajudá-los na fixação dos conteúdos escolares, também promovemos o desenvolvimento de novas formações cognitivas e do raciocínio.

Descrição:

A família precisa disponibilizar as figuras, os palitos e realizar a leitura caso a criança tenha dificuldade para realizá-la. A criança precisa dispor os palitos de acordo com cada figura e seguir a orientação para cada atividade.

Cabe a família observar se a criança consegue retirar apenas a quantidade de palitos que é solicitado em cada atividade. Precisando refazer até conseguir, podendo solicitar apoio.

EM Antonio Andrade - Prof. Lilian - SR TFE/TDAH

Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image

GRANDE E PEQUENO

Objetivos: Relacionar os tamanhos dos objetos, construindo o conceito de grande e pequeno.

Materiais necessários: 2 recipientes (potes, caixas, cestos, bacias e outros), brinquedos da criança.

Participantes: um adulto e a criança.

Necessidade de suporte: pouco suporte

Descrição da atividade: Um membro da família separa alguns brinquedos da criança de preferência já escolhendo brinquedos grandes e pequenos e deixa-os todos juntos em um espaço. Depois, pegue dois recipientes que caibam os brinquedos. Orientar a criança que ela deve separar os grandes dentro de um recipiente e o no outro os pequenos. Se a criança tiver dificuldade o adulto deve pegar um brinquedo e perguntar: “Este é grande ou pequeno?”. Depois de responder sobre o tamanho perguntar: “Então onde deve colocar?” Se mesmo assim a criança não conseguir, deve se pegar na sua mão, fazer ela pegar um brinquedo, dizer se é grande ou pequeno e colocar no recipiente determinado.

Professoras Priscila da SRMF da EM Elis de Fatima Zem, Mariluz da SRMF do CMEI Tatiana Belinky e Suellen da SRMF do CMEI João Batista Costa

JOGO TATAPAN

Objetivos: Desenvolver a percepção visual, a construção do pensamento estratégico e raciocínio lógico.

Materiais necessários: Lápis ou canetinha, régua, papelão, 6 peças, de dois tipos diferentes (pode usar botões ou tampinhas)

Participantes: Esse jogo pode ser vivenciado em dupla ou em grupo.

Necessidade de suporte: Médio suporte

Descrição da atividade:

Para construir o jogo, siga os passos a seguir:

  • Desenhar um quadrado de 20cm x 20cm;

  • Traçar os pontos médios de cada lado;

  • Ligar os pontos médios de cada lado;

  • Traçar suas diagonais;

  • Recortar seis peças: três de uma cor e três de outra cor.

Como jogar:

1. Os jogadores sorteiam a ordem para jogar.

2. Cada jogador coloca uma das suas peças em qualquer ponto destacado no quadrado.

3. Ambos se revezam até que todas as peças sejam colocadas em quaisquer pontos marcados no tabuleiro.

4. O jogador desloca uma de suas peças até o próximo ponto vazio na mesma linha. Não é permitido saltar por cima de uma peça.

5. Os jogadores prosseguem dessa maneira, revezando-se, até fazer uma linha de três peças iguais.

6. O vencedor é o primeiro jogador que conseguir colocar suas três peças em uma das linhas (podendo ser na diagonal, vertical ou horizontal).

7. Se nenhum jogador conseguir colocar três peças em linha a partida termina em empate, isto é, não há vencedor ou perdedor.

EM Aroldo de Freitas - Prof. Rafaella – SRMF

Semana de 15 a 19 de junho

HISTÓRIA DOS NÚMEROS

Objetivos: desenvolver a imaginação, memória, atenção; conhecer os números e sequência a numérica.

Materiais necessários: tablet, celular, computador ou tv;

Participantes: A criança e toda a família.

Necessidade de suporte: Pouco suporte.

Descrição da atividade: Assitir ao vídeo: História dos números. Após contextualizar com a criança a sequência numérica; antecessor e sucessor. Questionar sobre a história, exemplo: o número 1 gosta de comer o quê? Fazer com que a criança perceba que na história cada número faz ou gosta de comer algo e que consequentemente rima com o número.

EM Maria Cappellari - Prof. Jheniffer A. C. Ferreira - SRMF

JOGO DA VELHA COM TAMPINHAS

Objetivos: Desenvolver o raciocínio lógico, estratégia e atenção.

Materiais necessários: 6 tampinhas de garrafa PET (3 de uma cor e 3 de outra cor); 1 pedaço de papelão ou um papel mais firme (papel cartão ou cartolina);

Participantes: Para ser realizado em família.

Necessidade de suporte: Pouco suporte

Descrição da atividade:

  • Serão necessários dois jogadores, cada 1 com 3 tampinhas da mesma cor;

  • Tirar par ou ímpar para ver quem começa;

  • Cada um joga na sua vez mexendo sua tampinha somente uma casa de cada vez;

  • Vence quem conseguir colocar as 3 tampinhas da mesma cor numa linha, quer horizontal, vertical ou diagonal.

Observação: não deixe de assistir ao vídeo explicativo.

Referência:

Professoras Andréa, Ivone e Rafaella - SRMF

“QUADRADOS MÁGICOS”

Objetivos: Desenvolver o raciocínio lógico, a atenção e a noção espacial.

Noções de sequência, de atributos (cor e forma/números)

Percepção de semelhanças e diferenças.

Trabalhar com múltiplas informações, situações de hipóteses.

Materiais necessários: uma folha de papel sulfite ou cartolina, folha do caderno, lápis, canetinhas ou lápis de cor, arquivos de Vídeos do Youtube. “quadrados mágicos” da professora mostrando o passo a passo do jogo.

Participantes: A criança e toda a família.

Necessidade de suporte: Médio suporte.

Descrição da atividade: A criança deverá preencher as células vazias com uma forma geométrica em cada célula, de maneira que cada coluna, linha e célula contenha cada forma geométrica apenas uma vez.

Na solução do jogo, cada forma aparece apenas uma vez em qualquer um dos sentidos horizontal/vertical. O quebra-cabeça contém algumas pistas iniciais, que são formas inseridas em algumas células, de maneira a permitir uma indução ou dedução das formas em células que estejam vazias.

Colocar o vídeo da professora ensinando o passo a passo da atividade.

EM Severino Massignan - Professora Inês – SRMF

JOGO DAS CORES

Objetivos: Estimular a associação viso-motora, o raciocínio lógico, a atenção, a motricidade fina, o reconhecimento e associação de cores, organização de ideias por meio de comandos orais.

Materiais necessários: Rolinhos de papel higiênico, palitos de sorvete e lápis de cor ou canetinha.

Participantes: 2 pessoas (criança e familiares)

Idade: 7 a 12 anos

Necessidade de suporte: Pouco suporte

Descrição:

A criança junto com seu familiar deverá escolher 6 cores com as quais deverão pintar os rolinhos de papel higiênico, um de cada cor. Em seguida deverão também pintar 6 palitos para cada cor escolhida.

Após realizada a confecção do material, os rolos de papel higiênico devem ser colocados em pé e os palitos devem ficar expostos separadamente.

Os familiares devem dar comandos a criança, como por exemplo:

- Coloque o palito amarelo dentro do rolinho amarelo;

- Coloque o palito azul no rolinho roxo;

-Coloque 1 palito amarelo no rolinho vermelho, 1 palito azul no rolinho verde, 1 palito no roxo no rolinho roxo;

O familiar pode criar o comando que quiser, mas só pode falar o comando somente 1 vez para criança sem repeti-lo.

A cada comando, deve-se atribuir um ponto para criança a cada acerto e um ponto para o familiar a cada erro. Ganha quem obtiver mais pontos quando acabar os palitos.

E.M Anísio Teixeira - Prof. Nádia- SR TFE

PONG HAU K’I

Objetivos: Desenvolver o raciocínio lógico e despertar a capacidade de resolver situação matemática.

Materiais necessários:

  • Papel sulfite ou qualquer pedaço de papel que tenha disponível;

  • Caneta, lápis ou algo para desenhar o tabuleiro;

  • 4 peças para fazer os peões do jogo (pode usar botões ou que tiver à mão. Até bolinhas feitas de papel);

  • Régua para facilitar desenhar as linhas do tabuleiro.

Participantes: Aluno e família.

Necessidade de suporte: Médio suporte

Preparação:

  • Primeiro, desenhe o tabuleiro, com a ajuda de uma régua.

  • O tabuleiro é assim, um X com três lados conectados e um ponto no meio. Aliás, desenhe pontos em cada uma das intersecções do desenho.

Posicione os peões conforme a foto e bora jogar!

  • Sorteiem quem começa o jogo. Para brincar, é preciso mover um peão de cada vez para um ponto que esteja vazio.

  • O objetivo do jogo é ao mesmo tempo bloquear seu adversário para que ele não consiga mover seu peão para uma casa vazia e fugir, evitando ser bloqueado.

  • Olhe abaixo um exemplo de bloqueio do jogo. No caso, o jogador branco bloqueou os pretos.

Com este jogo chinês, as crianças praticam o raciocínio, a habilidade de encontrar soluções. Além disso, como as regras são simples, crianças a partir de 4 ou 5 anos já podem experimentar. Se seus filhos forem mais velhos, teste colocar um tempo limite para que um vença, o que torna o jogo mais “difícil” ajudando a treinar a rapidez de pensamento.

CADS Helen Keller - Prof. Gisele Manika

Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image

VAMOS BRINCAR DE CÓDIGO SECRETO?

Objetivos: Desenvolver o raciocínio lógico e despertar a capacidade de resolver situação matemática.

Materiais necessários: Na brincadeira do Jogo Secreto, você vai precisar de um papel (qual tiver em casa) e caneta para jogar. Tudo o que você precisa fazer é cortar a folha para que cada jogador fique com a sua parte. Esse abaixo é um modelo para ajudar no jogo, lembre-se você poderá adaptar utilizando os materiais que tem em casa.

Participantes: Criança e família.

Necessidade de suporte: Médio suporte

DESCRIÇÃO DE ATIVIDADE:

Para começar o jogo, o primeiro jogador usa a parte superior da folha, com 4 espaços, para escrever um código secreto de 4 dígitos. Os números escolhidos devem ir de 1 a 6 e não pode repetir um número.

A partir daí, o jogador 2 precisa tentar descobrir qual foi o código escolhido pelo jogador 1.

Em cada linha do papel o jogador 2 tem a chance de arriscar um palpite. Para cada número correto que também está na posição certa, o jogador 1 marca um traço abaixo do círculo verde. Para cada número correto, porém na casa errada que o jogador 2 arriscar, o jogador 1 faz um tracinho abaixo no círculo laranja. (Veja o modelo)

No exemplo acima, arrisquei uma sequência e foi indicado que, dos 4 números, 3 estavam certos, porém todos na posição errada.

A partir das informações dadas pelo jogador 1, o jogador 2 faz novas tentativas, uma em cada linha do papel, até decifrar o código. Nesse jogo, foi decifrado em 5 tentativas. O objetivo é decifrar o código em 7 jogadas ou menos.

Ganha o jogo quem decifrar em menos jogadas.

CADS Helen Keller - Prof. Gisele Manika

Carousel imageCarousel imageCarousel image

“QUEBRA-CUCA; QUEM É O DONO DO ANIMAL?”

Objetivos:

Desenvolver o raciocínio lógico indutivo, a atenção e percepção.

Trabalhar com múltiplas informações, situações de hipóteses.

Estimular a leitura e a oralidade.

Materiais necessários: uma folha de papel sulfite ou folha do caderno, lápis, canetinhas ou lápis de cor, imagem da atividade, você pode desenhar as figuras numa folha para a criança ligar.

Participantes: A criança e toda a família.

Necessidade de suporte: Médio suporte.

Descrição da atividade: A criança deverá resolver os enigmas, e descobrir qual criança é dona de cada animal de estimação, lendo e seguindo as pistas descritivas, ligando cada criança ao seu animal respectivo de estimação.

Se a criança não souber ler, um membro da família deverá fazer a leitura para ela, estimulando o prazer pela atividade.

Para mais desafios de lógica acesse o site “Racha cuca: Geniol.” https://.geniol.com.br/logica/desafios/

E.M. Severino Massignan -Prof. Inês KAC – SRMF

JOGO DO TANGRAM ONLINE

Objetivos: Estimular o raciocínio lógico, a atenção e criatividade.

Materiais necessários: Computador ou celular acessando o link:

https://rachacuca.com.br/raciocinio/tangram/

Participantes: A criança joga com ou sem a ajuda do adulto utilizando o computador ou celular.

Necessidade de suporte: Médio suporte

Descrição da atividade:

Sobre o Tangram: é um quebra-cabeça chinês que contém 7 peças (2 triângulos grandes, 1 triângulo médio, 2 triângulos pequenos, 1 quadrado e 1 paralelogramo) que são chamadas de "tans".

Solicitar à criança a montagem de figuras diversas à sua escolha (pessoas, animais, objetos e outros símbolos) utilizando todas as peças do quebra-cabeça.

EM Anísio Teixeira - Prof. Andréa Quadros- SRMF